Sábado, 08 de Maio de 2021
Sim e Não

Uma guerra sem prazo para acabar


4240fd3a-29f7-4776-b7cc-cf2ba25ccef9_3DE15512-ACE2-4213-8045-888EAA6E39CE.jpg
22/04/2021 às 08:13

A disputa pela concessão do aeroporto de Manaus vai virar uma guerra judicial sem prazo para terminar e que deixará “paralisada a história”.  A avaliação é do deputado estadual Serafim Corrêa (PSB).  Na terça, o presidente do STJ,  Humberto Martins, retirou o Eduardo Gomes do “Bloco Norte” licitado pelo governo federal no dia 7. Martins levou em consideração a existência de um contrato assinado em 2018 entre a Infraero e o consórcio SB Porto Seco, vencedor de uma licitação para exploração comercial e operação da armazenagem e movimentação de cargas pelo prazo de dez anos.

Alguns anos -  À coluna, Serafim disse que essa “é uma briga de grandes empresas”. “Essa disputa se dá porque o negócio é muito bom e tem uma empresa que entende que já tinha a preferência porque ganhou a licitação da parte de carga em 2018. E a outra empresa ganhou tudo (carga e passageiros) em um pacote só. Então, essa é uma briga que vai levar alguns anos e isso vai ser ruim para todos nós”, disse.

Sugestão -  “Seria bom se o STJ decidisse. Eu não estou aqui defendendo que decida em favor de A ou de B, mas que o tribunal fosse ágil, fosse célere, e decidisse de uma vez por todas quem tem razão. São grandes empresas, assessoradas por grandes advogados e isso não é uma briga para terminar agora. Agora o fato: fica paralisada a história”, avaliou o parlamentar.

Engavetado  -   A jornalista Mônica Bergamo noticiou ontem,  na Folha,  que  o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) deve barrar o projeto de lei aprovado na Câmara que libera a compra de vacinas por empresas privadas. O projeto, diz ela,  “deve permanecer na gaveta no Senado ainda por um bom tempo —e talvez nunca seja aprovado”.

E agora? -   Na terça-feira, a Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM)  aprovou um projeto de teor semelhante,  que, na prática, garante que as compras privadas tenham “custo zero”, uma vez que o valor gasto pelas empresas poderia ser abatido em impostos estaduais.

Tudo mudou -  Antes com 19 votos a favor, a concessão do título de Cidadão Amazonense ao presidente Jair Bolsonaro agora contabiliza 13 apoios. Seis parlamentares que constavam como favoráveis ao projeto agora aparecem como ‘Não Votou’ no sistema da ALE-AM.  São eles: Álvaro Campêlo (PP), Abdala Fraxe (Podemos), Cabo Maciel (Podemos), Mayara Pinheiro (PP), Fausto Júnior (MDB) e Nejmi Aziz (PSD).

Acelera!  -  Iniciou na terça e vai até 28 de maio a primeira Chamada de Negócios da AMAZ, recém-criada aceleradora, uma evolução do programa de aceleração da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), iniciativa de investimento coletivo em negócios de impacto na região. As seis startups selecionadas serão aceleradas inicialmente com R$ 200 mil, podendo chegar a R$ 600 mil de investimentos totais. Inscrições podem ser feitas no site  www.amaz.org.br/chamada2021.

Digital 1 -   A Sedecti lança esta semana o “SEDECTI DIGITAL”. A iniciativa tem como proposta principal, a aproximação com o ecossistema de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), reunindo ações e parcerias com diversos atores, que estão convergindo, cada vez mais, para ambientes digitais. 

Digital  2 -  Será uma série de ações como eventos on-line, “lives”, dicas de inovação, bate-papo com especialistas do setor de CT&I, TIC, P&D, entre outras iniciativas voltadas para a inovação, sempre com o foco de instruir o cidadão sobre o novo cenário da transformação digital.

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.