Quinta-feira, 04 de Março de 2021
Sim e Não

Transparência em vacinação é cobrada


coronavac-gilson-abreu-aen-crop-20210119102606-660x372_C9BD7F9E-63EF-48E9-9F52-833454F2FF4C.jpg
21/01/2021 às 07:11

Recentes publicações nas redes sociais colocaram em xeque a transparência da distribuição das vacinas no Amazonas. O Tribunal de Contas do Estado exigiu que Governo  e a Prefeitura entreguem uma lista com os nomes de quem recebeu a primeira dose, nesta primeira fase. O Governo, por sua vez, já havia direcionado a responsabilidade pela aplicação e controle para a Prefeitura. O prefeito David Almeida (Avante) afirmou, em vídeo publicado nas redes sociais, que todo o processo está sendo transparente.   

Sem fotos - Para evitar mais desconfianças, David disse que a Secretaria Municipal de Saúde publicaria uma portaria proibindo fotos nos locais de vacinação. Ele também explicou que a vacinação começou primeiro nas unidades básicas de saúde  do município porque o Governo ainda não havia enviado o plano de vacinação dos hospitais estaduais.

Fake News - Após divulgação de mensagens afirmando que servidores do judiciários     tinham furado a fila da vacinação, o Tribunal de Justiça do Amazonas  e o Ministério Público do Amazonas precisaram divulgar  notas  negando a informação e defendendo que possíveis  desvios das vacinas sejam investigados. 

Não era Coronavac -Por falar nisso, a  modelo amazonense Mariana Castilho, que recebeu uma enxurrada de críticas após publicar storie no Instagram  tomando uma vacina, disse, ontem, que não se tratava do imunizante  contra Covid-19, e sim, contra febre amarela. Ela publicou a foto de uma carteira de vacinação, sem nome visível, com o carimbo da vacina que diz ter recebido. 

Bom trabalho - Mesmo com toda resistência que encontraram por parte de antigos funcionários  ao assumirem a gestão da Policlínica Gilberto Mestrinho,   no Centro, profissionais do Corpo de Bombeiros têm ganhado elogios em relação ao atendimento na unidade de saúde.  

Bom trabalho 2 - “Educados e prestativos” são alguns dos elogios que pacientes chegaram a publicar nas redes sociais, marcando a corporação e a página da policlínica.  Os bombeiros convocados em 2020 já haviam atuado no Hospital de Campanha da Nilton Lins e depois  passaram a integrar o quadro técnico da policlínica.    

Para garantir - Precursor do movimento de artistas que se mobilizaram para comprar cilindros de oxigênios e enviar para Manaus, o humorista Whinderson Nunes também enviou seu segurança pessoal para garantir a distribuição dos equipamentos. Segundo ele mesmo publicou, a medida seria para evitar desvios. “Hoje em dia está difícil confiar”.   

“Adiantada” - A prefeita de Presidente Figueiredo, Patrícia Lopes (MDB) comunicou que “está se adiantando a futuros problemas” e anunciou que está em negociação com uma empresa para instalação de uma mini usina do oxigênio no Hospital Geral Heraldo Neves. O CEO da empresa Dinatec, Davi Lessa Chaves, visitou as instalações do hospital e disse que é viável a instalação de uma mini usina, se comprometendo a instalar no menor tempo possível.

Sem falta - Já a prefeita de Nhamundá, Marina Pandolfom disse que o município está trabalhando de forma organizada e compromissada e que, por isso, “não está sofrendo com a falta de oxigênio”. Segundo nota enviada pela prefeitura do município, o Hospital Coronel Pedro Macedo tem quantidade disponível suficiente para tratar seus pacientes. A nota diz, ainda, que o município inclusive cedeu cilindros para a cidade vizinha, Faro, no Pará. 

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.