Quinta-feira, 22 de Abril de 2021
Sim e Não

Bicicletas: Guedes diz que ‘não sabia’ dos impactos negativos para ZFM


10-2_3B845EA8-9B04-4C40-A459-EE6FA9844753.jpg
24/02/2021 às 07:50

Em reunião com a bancada amazonense, o ministro da economia Paulo Guedes disse desconhecer a redução das alíquotas de imposto de importação sobre bicicletas e que a proposta não partiu dele. Ele chamou os técnicos da pasta, que explicaram os números aos deputados e senadores, mas também afirmaram que não sabiam que a medida ameaça a indústria brasileira de duas rodas, principalmente, na Zona Franca de Manaus, que gera pelo menos 5 mil empregos no setor. A pasta pediu prazo de 24h  para reanálise da medida.     

70 mil empregos - A proposta da bancada apresentada ao ministro é de que o imposto de importação seja reduzido somente para bicicletas que não são produzidas no Brasil. “Mostramos à eles o quanto eles atingiam, neste momento inadequado de pandemia, atingindo em média 70 mil empregos em todo o Brasil. Ou seja, não estamos sós. O Brasil todo é prejudicado com isso”, disse o senador Plínio Valério.

Doloroso e demorado - Já existe um Projeto de Decreto Legislativo  (PDL) elaborado pela bancada e assinado  pelos senadores Eduardo Braga, Omar Aziz e Plínio Valério, para acabar com a medida do Governo, mas os senadores decidiram não apresentar neste momento. “Seguramos o decreto por alguns motivos. Primeiro, os técnicos levaram nossa proposta. Segundo, porque a gente consegue aprovar no Senado com facilidade para derrubar a medida, porque atinge 14 Estados. Mas depois iria para Câmara, e seria doloroso e demorado”.

PDL - O deputado José Ricardo (PT), no entanto, defende que a bancada continue insistindo no Projeto de Decreto Legislativo  "para sustar essa medida que prejudica tanta gente e gera tanto desemprego".

Mercado - O deputado Alberto Neto (Republicanos), vice-líder do governo Bolsonaro, disse ser a favor da abertura do mercado, mas de forma gradual. “Entendemos que essa abertura seja gradual, reduzindo o custo Brasil para que a indústria nacional tenha condições de competir de igual para igual no mercado globalizado”.

Novos blocos  - A Assembleia Legislativa do Amazonas oficializou ontem sete novos blocos partidários. O maior deles, com cinco parlamentares, foi formado pelo PP/ PL, tendo Álvaro Campêlo, Belarmino Lins e Mayara Pinheiro, do PP, além de Joana Darc e Cabo Maciel, do PL.  O menor bloco, PTB/PSC, conta com dois deputados: Saullo Vianna, que durante licença de Joana (líder do Governo), responderá pelo Executivo, e Doutor Gomes, também governista. Os dois tem apenas 10 minutos de fala durante o Grande Expediente.

Novos blocos 2 -  Já o bloco Patriota/PSDB/Republicanos é formado Felipe Souza, João Luiz, Josué Neto e Therezinha Ruiz. PSL/MDB tem Delegado Péricles, Fausto Souza e Alessandra Campêlo. O bloco  PV/PSD  é formado por Roberto Cidade, Carlinhos Bessa, Ricardo Nicolau e a mais nova deputada, Nejmi Aziz.

Novos blocos 3 -  O bloco formado pelos partidos PSB/PT/PDT têm Serafim Corrêa, Sinésio Campos e Adjuto Afonso. O Podemos, conta com os três únicos deputados do partido na Casa: Abdala Fraxe, Dermilson Chagas e Wilker Barreto, todos da oposição.

Aglomeração -  E por falar em oposição, Wilker Barreto  continua batendo na tecla do impeachment. Ontem  ele incitou que a população do Amazonas vá às ruas pedir a retirada do governador Wilson Lima (PSC), “em plena pandemia”. “Mas deputado, o senhor está pedindo pro povo vir para a rua em plena pandemia? Estou sim! Porque se o povo vier para as ruas tem uma chance para sobreviver”, disse.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.