Domingo, 17 de Janeiro de 2021
Editorial

Fiscalização do trânsito


show_acidente-manaus_C316FA04-B2B9-4AB6-BE12-15E7288096EA.jpg
25/11/2020 às 06:38

A sucessão de acidentes de trânsito em Manaus pede reforço à fiscalização. Motoristas alcoolizados, ultrapassagens perigosas, desrespeito em série à lei e compartilhamento do volante com o aparelho celular atuam diretamente nesses registros, alguns deles com vítimas fatais. Praticamente, todos os dias, há ocorrências leves e graves envolvendo motocicletas, em situação irregular.

O excesso de irregularidades no trânsito, como noticiado pela mídia no último final de semana questiona o sistema de fiscalização e indica aparente perda de controle do aparato fiscalizador. É como se pandemia da Covid-19 e eleições oferecessem um tipo de licença para infringir a legislação. As festas, vetadas por medidas de prevenção ao novo coronavirus, permanecem desafiando os protocolos médicos-sanitários, algumas delas ao ar livre, com participação de centenas de pessoas e, nesses ambientes, a ingestão de bebidas alcoólicas e o passo seguinte, direção veicular, tornaram-se recorrentes; na categoria dos motociclistas, as irregularidades parecem corresponder ao número de acidentes tanto os que são provocados por eles quanto os que os vitimam.

Por que tantos motociclistas circulam na cidade em situação irregular? A fiscalização não consegue impedir e inibir a avalanche dessas irregularidades e das consequências provocadas por elas, ferimentos, sequelas graves, mortes e muita dor. Na segunda-feira, um menor, de 17 anos, dirigia uma motocicleta na avenida Cosme Ferreira, em condição completamente irregular e em alta velocidade, de acordo com os relatos feitos. Morreu em violenta colisão. Entre o final da tarde de sexta-feira e o domingo, os registros da mídia sobre ocorrência de graves acidentes envolvendo motociclistas demonstram a urgência da tomada de providências para enfrentar a conduta irregular no trânsito e fazer a legislação funcionar.

É igualmente necessário fortalecer as ações de regularização do sistema de transporte por micro-ônibus. A conduta de parcela de motoristas dessa modalidade transporte de passageiros é atentatória para quem viaja nesses veículos e para quem está nas ruas, como pedestre ou motorista de outros veículos. São facilmente verificáveis as condutas ilegais desses motoristas tais como ultrapassagens perigosas, estacionamento em locais proibidos, inobservância da velocidade exigida em perímetro urbano. O que se observa em determinados bairros, onde os micro-ônibus são o principal meio de transporte, é um tipo de batalha insana de motoristas dos micro-ônibus, um vale-tudo que atua no agravamento da violência no trânsito e se constitui em falta de respeito grave.

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.