Domingo, 08 de Dezembro de 2019
Sim & Não

CPI não deverá ser prorrogada


cpi_1AFE182F-84EB-467A-A98D-1AFDA7A597FA.jpg
19/07/2019 às 07:20

Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Combustíveis, a deputada estadual Joana Darc (PL) afirmou ontem que a CPI caminha para seu fim e não deve ser prorrogada. Para a deputada, as “incansáveis” oitivas com distribuidoras, postos e sindicatos já levaram a um resultado satisfatório. O prazo final da CPI é dia 3 de agosto, um sábado. Joana estuda se vai optar por entregar os resultados antes ou no dia útil subsequente, como determina a lei.

Queda de braço Por enquanto, na queda de braço entre a CPI dos Combustíveis – que se transformou em força tarefa – e as distribuidoras e postos, o empresariado tem demonstrado maior força. As sucessivas reduções nos preços praticados pela Petrobras não têm sido repassadas ao consumidor amazonense.

Resultados Autuações a postos e distribuidoras não têm assustado o empresariado. Até uma ação civil pública para a redução do preço foi indeferida pela Justiça. Ainda assim, Joana Darc promete entregar resultados satisfatórios até o final do prazo da CPI.

BNDES Já na Câmara dos Deputados, em Brasília, o presidente Rodrigo Maia (DEM) anunciou a prorrogação da CPI do BNDES, que já completou 120 dias. Mesmo com o recesso parlamentar, que se inicia hoje, a CPI vai continuar funcionando.

Lula e Dilma Integrante da CPI do BNDES, o deputado Pablo Oliva (PSL) adiantou que, na próxima semana, será decidido se a CPI convidará os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff para prestar esclarecimentos sobre os contratos do banco entre os anos de 2003 e 2015.

Palocci De acordo com o deputado, em seu depoimento à CPI, realizado a portas fechadas e vedado à imprensa, o ex-ministro Antonio Palocci teria citado os dois ex-presidentes várias vezes. Os deputados têm curiosidade especial sobre os contratos firmados com o BNDES para a realização de obras em Cuba, Venezuela e Angola.

Revés Cassado por compra de votos na eleição de 2014, o ex-governador José Melo sofreu mais um revés ontem. Atendendo a um requerimento do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), o juiz  Leoney Figlioulo Harraquian, da 2ª Vara da Fazenda Pública do Amazonas, suspendeu o pagamento de aposentadoria especial de R$ 30,4 mil ao ex-governador.

Cogumelos Os cogumelos comestíveis da Amazônia estão em alta. Tanto assim que o laboratório de Microbiologia de Alimentos, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), desenvolveu o primeiro cultivo de cogumelo comestível da espécie Lentinula raphanica, em escala experimental, no mundo.

Renda O cultivo dos cogumelos comestíveis em toras de madeira pode ajudar a elevar a renda de pequenos proprietários rurais no Amazonas. A pesquisa apontou que essa espécie de cogumelo pode ser uma alternativa economicamente viável.

Pioneiro Os fungos comestíveis da nossa região já haviam chamado atenção do chefe catarinense radicado em Manaus Felipe Schaedler, que também realizou pesquisas de cultivo da espécie raphanica em colaboração com o Inpa.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.