Sexta-feira, 28 de Janeiro de 2022
Saúde

Novembro Azul: como se prevenir contra o câncer de próstata

A campanha chama atenção ao exame de rastreamento prostático para o diagnóstico precoce da doença. Nos estágios iniciais, suas taxas de cura são mais do que 90%



750-novembro-azul-2020102923732364_A90E9A28-5E4A-4A24-AC6C-2604112027D3.jpg O câncer de próstata é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas (Foto: Reprodução)
30/10/2021 às 12:59

A campanha de conscientização do Novembro Azul foi criada com o objetivo de informar o homem da importância de realizar exames preventivos para combater câncer de próstata, e também inteirar o público masculino sobre a necessidade de se falar sobre a saúde do homem. 

O câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca).



O secretário de saúde do Estado do Amazonas e médico urologista Anoar Samad destaca que o câncer de próstata é uma doença assintomática, principalmente no início. Dessa forma, os exames preventivos se fazem necessários para o diagnostico positivo ou negativo. 

“Existem dois tipos de exame que levam ao diagnóstico. Os mesmos são indicados uma vez ao ano, a partir dos 45 anos. É muito importante, pois como qualquer outro tumor, quando descoberto no início, há altíssimas taxas de cura”, disse.

Exames preventivos 

Os exames mais indicados são o de toque retal e análise sanguínea do PSA. A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) orienta o rastreamento a partir de 50 anos. Apesar de apenas 10% do total dos cânceres de próstata serem hereditários, pacientes com histórico familiar de câncer de próstata tem um risco maior da doença e devem começar o rastreamento mais precocemente, aos 45 anos.

Se houver alterações nesses exames, o médico especialista poderá solicitar outros, como medição do jato de urina e ultrassonografia transretal, para melhor investigação de tumores que podem ser malignos e evoluírem para câncer. 

Segundo a urologista Barbara Melão, não existe medicação nem dieta que previna o aparecimento do câncer de próstata. “O mais importante é a conscientização sobre o rastreamento para diagnóstico precoce da doença. Mas é bom lembrar que bons hábitos de saúde, exercícios físicos e alimentação saudável são essenciais para a boa saúde da próstata”, completou. 

A prática de exercício e à boa alimentação, também são itens defendidos pelo urologista Ítalo Cortez. “Nós devemos incentivar a população a praticar exercício físico, lembrando que as atividades físicas, previnem o câncer e também outras doenças que atingem o coração, cérebro, rins, entre outros. Uma boa, dieta rica em proteínas de preferencia com pouca gordura animal, com verduras e frutas é fundamental”, frisou. 

Tratamento

Segundo o urologista, José Eugênio Rocha Júnior, o tratamento do câncer de próstata deve ser sempre individualizado, esclarecendo-se cada vantagem e desvantagem do método de escolha, podendo ser: cirurgia ou radioterapia. 

A cirurgia prostatectómica radical consiste na remoção da próstata inteira junto com as vesículas seminais. Atualmente é realizada cada vez mais com o auxílio de tecnologias, garantindo uma cirurgia menos agressiva e com recuperação muito mais rápida. Já a radioterapia é um tratamento não cirúrgico, onde a próstata com o tumor não é retirada e sim tratada com radiação. 

“Cada método tem vantagens e desvantagens, que precisam ser muito bem esclarecidas e discutidas com cada paciente. Independentemente do tipo de tratamento, a chance de cura é muito alta se feita nas fases iniciais da doença”, explicou o doutor.  

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.