Terça-feira, 20 de Outubro de 2020
DEFESAS

Evento com Bolsonaros tem críticas de Wilson Lima e apoio a ZFM

Governador falou sobre a situação da pandemia no Amazonas e disse que há pessoas 'torcendo por segunda onda'; ações de Turismo foram destacadas no evento



WhatsApp_Image_2020-09-18_at_12.06.59__1__DFB094C8-C821-4A35-96D6-37D40DF79B6A.jpeg (Foto: Junio Matos)
18/09/2020 às 12:35

O governador Wilson Lima apoiou a reabertura de escolas públicas e criticou pessoas que “torcem por uma segunda onda” de contaminação de Covid-19 no Estado, em evento voltado à divulgação do programa de Retomada da Atividade Turística do Amazonas, ocorrido no Centro de Convenções do Amazonas (CCA) Vasco Vasques, situado na avenida Constantino Nery, na manhã desta sexta-feira (18).

No ato, Wilson Lima, o deputado federal Eduardo Bolsonaro e o senador Omar Aziz manifestaram apoio à Zona Franca de Manaus (ZFM). 



O governador Wilson Lima, presente no evento com uma máscara na qual estava estampada a bandeira brasileira, informou que a agenda de retorno das aulas do ensino fundamental está sendo programada e classificou a volta do ensino público como uma importante ação. “Nesse processo, tem uns poucos ali que ficam torcendo por uma segunda onda de pandemia. Não é justo que baladas continuem acontecendo e escolas ainda estejam fechadas”, disse. 

Lima afirmou que o programa de recuperação do turismo no estado é um passo importante à abertura gradativa dos seguimentos econômicos. “O Amazonas foi o primeiro a sofrer com a pandemia. Mas estamos sendo o primeiro estado brasileiro a se livrar dela”. 

Ao dizer que a área brasileira mais afetada pela fome é a região norte, o governador do Amazonas afirmou que enxerga o acesso à educação, bem como a geração de emprego e renda, como formas de combate ao malefício. “Queremos reduzir desigualdades. Porque a rede privada está funcionando, enquanto que o pai que depende do serviço público não tem o filho na escola?”

Momentos antes de arrematar o discurso, Wilson Lima afirmou que reconhece apoio de Jair Bolsonaro ao Amazonas e citou, como justificativas à afirmação, proteção à ZFM e ações de reforço à segurança pública.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro comunicou que não faz sentido afastar o Amazonas do resto do país. “Preservar não é isolar. Não faz sentido deixar os senhores longe do resto do país. O governo Bolsonaro quer integrar a nação”. 

O senador Flávio Bolsonaro disse que a integração entre os poderes beneficia o povo. “Agradeço a Deus por ter criado o estado do Amazonas com tantas belezas naturais”. 

O senador Omar Aziz afirmou que pretende apoiar a ZFM. O político disse, também, que o presidente da república Jair Bolsonaro é um assíduo defensor do modelo de desenvolvimento econômico. “O presidente sempre esteve ao lado da Zona Franca de Manaus. Enquanto deputado, votou à favor da ZFM e não é agora, como presidente, que vai nos prejudicar”.

O senador comunicou, ainda, que a presença de Eduardo e Flávio representam uma interlocução com o presidente da república. “Quem tem que resolver nossos problemas somos nós, sem a ajuda de ninguém”, disse, fazendo referência a auxílios oriundos de outras nações. 

Mil participantes 

Segundo a Secretaria de Comunicação Social (Secom), a estimativa é de que o evento contou com a participação de aproximadamente mil pessoas. 

Representantes da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) e do Corpo Militar do Amazonas (CBMAM) também ocuparam assentos no centro de convenções. 

A presidente da Amazonastur, Roselene  Medeiros, lamentou as 4 mil vidas perdidas no estado, devido à pandemia, e disse que os empreendedores do turismo sofreram queda de noventa por cento em relação ao mesmo período, no ano passado. “As nossas feridas são imensas e profundas, mas chorá-las não vai trazer a cura”, disse. 

O presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (EMBRATUR), Gilson Machado Guimarães Neto, ao saudar Eduardo e Flávio Bolsonaro, descreveu-os como incansáveis divulgadores do turismo no país. “Eduardo deveria  ser o embaixador brasileiro nos Estados Unidos. Infelizmente, por uma questão do Congresso, ele não o foi”. 

Guimarães lamentou os prejuízos da pandemia e a descreveu como uma “tragédia bíblica”. “Não seremos uma geração perdida. Não tenho dúvida que o Brasil tem a capacidade de sair melhor que os outros países desse problema”.

O presidente da EMBRATUR criticou brasileiros que não exercem patriotismo e “falam mal do país lá fora”. Guimarães afirmou que acredita que o Brasil será o país do futuro, graças ao atual presidente da república. 

Secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Júnior, após classificar Eduardo Bolsonaro como “amigo e irmão”, afirmou que a secretaria de Aquicultura e Pesca, na gestão do governo Bolsonaro, passou a “olhar com muito carinho para o norte do país”. 

“O Amazonas precisa estar no lugar de destaque de todos ligados à pesca brasileira. A pesca esportiva acontece aqui, bem como a agricultura ornamental, pesca desembarcada e muitas outras atividades. Não tem outro estado com maiores rios do que essa terra abençoada”, afirmou. 

Ao citar medidas que o governo Bolsonaro prestou ao Amazonas, Seif citou o festival do Tambaqui e a liberação de áreas de produção ambiental para pesca esportiva.  “Avante capitão Bolsonaro, avante Brasil”, afirmou Seif, ao arrematar o discurso.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.