Quinta-feira, 02 de Abril de 2020
POLÍTICA

Em protesto na ALE-AM, motoristas de app pedem redução do ICMS

Deputados retomaram hoje atividades na ALE-AM. Manifestantes defendem que redução do imposto resultará na queda dos preços dos combustíveis no Estado



JUNIO_E198DFE7-7BB8-4CB7-B3D3-7D74E004A6DF.jpg Foto: Junio Matos
04/02/2020 às 11:38

Cerca de 2 mil motoristas de aplicativo realizaram uma manifestação em frente à Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) nesta terça-feira (4). O ato iniciou às 9h e teve como foco a redução do preço da gasolina, por meio da diminuição do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Deputados retomaram hoje atividades na ALE-AM. Os trabalhos foram reabertos com uma solenidade presidida pelo deputado Josué Neto (PSD) seguida pela leitura da Mensagem Governamental.



Na avenida Mário Ypiranga, Zona Centro-Sul da capital, os condutores estacionaram veículos na via, deixando o trânsito mais lento no local. De acordo com Alexandre Moura, um dos organizadores do protesto, a redução dos impostos sobre os combustíveis é necessária, pois os motoristas de aplicativo não estão obtendo lucratividade.

"A gente quer fazer o maior barulho possível para que as autoridades venham acordar e saiam dessa inércia que existe sobre os combustíveis. São fraudes em cima de fraudes. Vamos baixar o ICMS!", disse o condutor.

O motorista de aplicativo Tiago Santos afirmou que a manifestação foi pacífica e os preços elevados dos combustíveis prejudicam a população do Amazonas.

"O governo federal anunciou redução e os postos aumentaram em mais de R$ 1 os preços da gasolina e do álcool. Isso é inadmissível. É evidente que existem cartéis agindo no Estado", disse o manifestante.

Durante a manifestação, policiais militares fizeram um "paredão" para obstruir a entrada dos manifestantes na ALE-AM. Além disso, alguns motoristas reclamaram que os carros foram guinchados pelos servidores do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans).

Posicionamentos

De acordo com o diretor-presidente do Departamento de Trânsito do Estado (Detran-AM), Rodrigo de Sá, o Detran apoiou a ação  do Manaustrans que trabalhava para organizar o fluxo de veículos na área.  "As questões devem ser pleiteadas de forma ordeira , sem impedir o direito das pessoas. O que a gente quer é manter a ordem no trânsito. De maneira alguma remover veículos a qualquer custo", frisou o diretor- presidente.

O secretário de Estado de Segurança Pública, Louismar Bonates, disse que a Polícia Militar agiu no sentido de assegurar os direitos  de ir e vir da população.

"Estamos aqui para assegurar tanto o direto das manifestações , quanto o direito das pessoas que estão se deslocando para o seu trabalho sem ter a via interrompida", concluiu.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.