Domingo, 08 de Dezembro de 2019
BOTO NAVEGADOR

Em missa, familiares lembram 10 anos da morte de Gilberto Mestrinho

Cerimônia religiosa foi celebrada Igreja Nossa Senhora de Lourdes, no Parque Dez, nesta sexta-feira (19)



WhatsApp_Image_2019-07-19_at_20.09.49_8F0D948A-C0D2-48E1-B6BB-F3D64EDC9704.jpeg Foto: Sandro Pereira
19/07/2019 às 20:56

Em homenagem aos dez anos de falecimento do ex-governador e senador do Amazonas, Gilberto Mestrinho, familiares e amigos se reuniram na noite desta sexta-feira (19) em uma missa, realizada na Igreja Nossa Senhora de Lourdes, no Parque Dez, Zona Centro-Sul de Manaus.

"É importante relembrar a importância que esse homem que foi o meu pai teve para todo o estado do Amazonas. Mesmo durante a época de chumbo da ditadura, ele conseguiu voltar a dar continuidade ao seu trabalho, como o homem de palavra que ele era", destacou João Tomé, filho do ex-governador.



Mestrinho morreu aos 81 anos de idade, na manhã de 19 de julho de 2009, no Hospital Prontocord, na Zona Sul de Manaus. Uma infecção nos rins e problemas provenientes de câncer nos pulmões o mantinha no local desde o dia 3 do mesmo mês. Após ter apresentado melhora nos quadros clínicos, sofreu uma parada cardíaca um dia depois e não resistiu.

Segundo João, um dos grandes diferenciais de Gilberto Mestrinho estava na sua visão conciliadora. Para o filho do político, em uma época onde ser de esquerda ou de direita torna pessoas inimigas, uma visão de centro faria bem para a democracia.

"Ele [Mestrinho] foi um democrata que verdadeiramente exerceu a democracia em seus mandatos, coisa que infelizmente se carece hoje em dia. O respeito às opiniões contrárias se perdeu nos dias atuais e, para que a democracia seja forte em um país, é preciso saber escutar a opinião do outro. Isso não é coisa de um lado político ou de outro, mas sim o que faz a democracia funcionar", afirmou.

"Reconquistar a democracia não era tão difícil. Já exercer a democracia era dificultoso, e ele o fazia. Sempre muito apaixonado pelo Amazonas, sonhava que o estado um dia venha a carregar o país nas costas", disse João Tomé. Emocionado ao lembrar do pai, ele destacou o que considera como o maior legado de Mestrinho: "Respeito pelo ser humano".

Investimento no interior foi legado

Nascido em Manaus no dia 23 de fevereiro de 1928, Gilberto Mestrinho teve o início de sua vida política atuando como prefeito da capital amazonense na década de 1950 (1956 a 1958), sendo também governador do Amazonas por três vezes (1959 a 1963; 1983 a 1987 e 1991 a 1995), além de ter sido senador no período de 1999 a 2007.

Conforme Miguel Capobiano, sobrinho de Mestrinho e secretário do MDB no Amazonas, um dos principais legados do ex-governador foi o investimento nos municípios do interior do estado.

"Não podemos esquecer a importância que o Gilberto teve não só para a política manauara, mas principalmente para o interior do Amazonas. Ele entendia que sem o desenvolvimento do interior, os municípios iriam se esvaziar cada vez mais. Portanto, ele fez o possível para dar condição de vida para o povo interiorano", comentou.

News pedro01 9f97d6e2 e058 4e63 8ce7 e934cf255a3d
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.