Terça-feira, 20 de Outubro de 2020
FUNCIONAMENTO PROIBIDO

Decreto suspende funcionamento de bares, flutuantes e balneários no AM

Decisão do Governo do Amazonas levou em conta a tendência de aumento de casos de Covid-19 nas últimas semanas e vale por 30 dias. Casos surgem principalmente entre classes A e B de Manaus



5c93f072-0290-467d-99a6-51758d157844_FB5FAA05-F00E-4676-8ADB-388E83B309BA.jpg Foto: Junio Matos
24/09/2020 às 10:56

Balneários, flutuantes, praias, casas de show e aluguel de sítios estão proibidos de funcionar pelos próximos 30 dias no Amazonas. A decisão foi anunciada pelo governador Wilson Lima, durante live na manhã desta quinta-feira (24), após números da Covid-19 terem apontado uma tendência de crescimento de casos da doença, principalmente em bairros nobres da capital amazonense.

No dia 11 de setembro, matéria publicada por A CRÍTICA destacava a tendência de aumento de casos da doença provenientes de festas de pessoas com boa condição econômica



“Temos observado nos últimos dias uma tendência de aumento nos casos de Covid. Esses casos estão surgindo principalmente nas classes A e B e resultam de aglomerações que estão acontecendo de forma indiscriminada em balneários e casas de show, que é do conhecimento de todos inclusive nas redes sociais”, afirmou o governador.

O decreto determina também que bares que não tenham o funcionamento voltado prioritariamente para restaurantes não poderão funcionar. Já os que funcionam de forma principal como restaurantes, terão limite de funcionamento até 22h, horário que também se estende para lojas de conveniência.

“Só no último fim de semana, fechamos dois estabelecimentos que juntos reuniam algo em torno de 7 mil pessoas. Um tinha 4 mil e o outro 3 mil participantes. É esse tipo de conduta que tem causado o aumento no número de casos, não a abertura de escolas”, destacou. “É o copo da balada que passa de boca em boca, a aglomeração sem cuidados, o não uso de máscaras, e não os estudantes”, concluiu.

Ao citar o retorno das aulas do ensino fundamental em Manaus, Wilson voltou a afirmar que o aumento de casos não tem a ver com a volta às aulas.

"Eu não vou deixar balada aberta e escola fechada. Nós não podemos punir o aluno do ensino público, que já tem defasagem histórica em relação ao ensino privado, porque alguns da turma dos que sempre torcem contra querem ir para a balada", disse.

Durante o anúncio do decreto, Lima também pediu ajuda da população para que realizem denúncias de aglomerações e outras irregularidades ao número 190. “Pedimos ajuda da população nesse sentido. Não tem como o estado estar presente em todos os lugares ao mesmo tempo, mas se cada um fizer sua parte, sairemos dessa. Fomos o primeiro estado mais impactado, mas também estamos sendo os primeiros a sair dessa situação, e com a ajuda de todos, o processo será mais rápido”, finalizou o governador.

News cd352277 0e1c 46a0 a7be 1c103dc77fdf 61069a10 0ddc 4dd3 a064 0924327cad53
Subeditor do Portal A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.