Domingo, 29 de Março de 2020
DESPEDIDA

Corpo de ex-vereadora Maryse Mendes é sepultado em Manaus

Antes do enterro, foi realizado um culto ecumênico com homenagens e músicas cristãs



WhatsApp_Image_2020-02-15_at_15.29.41_15C2BDF2-16AD-4B54-BE77-6BEE75B1F054.jpeg Foto: Antonio Lima
15/02/2020 às 16:59

A despedida de Maryse Mendes Perez, irmã do ex-governador Amazonino Mendes, foi marcada pela presença de cerca de 200 pessoas. Familiares, amigos e profissionais que acompanharam a trajetória de vida pública da ex-vereadora e secretária de Estado prestaram a última homenagem no Cemitério São João Batista, localizado no bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul de Manaus, neste sábado (15), onde foi realizado o sepultamento.

Marise estava internada no Hospital Check-Up, na Zona Centro-Sul de Manaus, com complicações renais e respiratórias, e morreu na última sexta-feira (14). A causa da morte foi uma parada cardíaca.  A ex-vereadora teve três filhos: Mônica, Marjorie e Paulo Perez (in memoriam).



Mônica Perez disse ao A CRÍTICA que cada pessoa que se fez presente na ocasião tem uma história única de como as obras de assistência social de Maryse influenciaram positivamente na vida delas. 

“Muitos vieram conosco e relataram que em um determinado momento da vida acompanharam o que ela fez por cada um e o que isso representou no futuro deles. Ela foi uma pessoa que estendeu a mão. Até nos surpreendemos porque não tínhamos noção dessa imensidão. Vieram até pessoas de municípios vizinhos prestar essa homenagem”, disse Mônica.

Mônica Perez afirmou que tem boas lembranças da disciplina da mãe e, segundo ela, de como o trabalho dela impactou o Estado. “Ela era uma pessoa dura, que sabia dizer ‘não’, mas também sabia dar a mão até quando não podia. Não media esforços para ajudar as pessoas e isso foi o maior legado que ela deixou para família e para todas as pessoas que passaram pela trajetória de vida dela”, concluiu a filha de Maryse.

O ex-governador Amazonino Mendes não compareceu ao velório e ao sepultamento porque, conforme informado pela assessoria de Mônica, ele está desde a última semana no estado de São Paulo (SP), fazendo exames de saúde. Amazonino, porém, utilizou as redes sociais nesta sexta-feira (14) para prestar uma homenagem. 

“Era uma guerreira social, inconformada com as injustiças, solidárias com aqueles que precisavam de uma palavra de conforto, de apoio. Desde cedo via nela refletido o espírito solidário do nosso pai Armando. Maryse nos deixa bons ensinamentos, lembranças e muita saudade”, disse o ex-governador no Facebook.

Maryse Mendes, neta da ex-secretária e batizada com o mesmo nome, falou com a reportagem e disse que o maior sentimento é de admiração. Segundo a neta de Maryse, a contribuição de assistência social realizada pela ex-vereadora foi um marco na vida dos familiares.

“Por mais que ela tivesse as limitações físicas, o que ela pudesse fazer pelo próximo ela fazia. Ela tinha muita vontade de viver, independente de todas as coisas que ela passou. O sentimento que fica é de gratidão pela mulher maravilhosa que ela foi em nossas vidas e de eternas saudades”, ressaltou a neta.

Culto Ecumênico

(Foto: Antonio Lima)

O culto, que antecedeu o sepultamento de Maryse, foi realizado na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) e contou com homenagens e músicas cristãs. Em certo momento, Thiago Perez, que é neto de Maryse, conduziu a solenidade e disse que o nome da avó é notório e vai ficar como um exemplo de retidão para a família.

“Ela foi uma mulher que nunca aceitou o erro, que nunca teve singularidade com o pecado. Teve suas falhas, mas sabia reconhecer. Não acobertava filhos e nem parentes. A forma como ela era rígida, mulher de pulso forte nos seus valores e princípios, é reconhecido por todos no Estado do Amazonas”, disse Thiago.

Alberto Silva, que é coordenador geral da Articulação Amazônica de Povos e Comunidades Tradicionais de Terreiro de Matrizes Africana (Aratrama), afirmou que desde quando o Amazonino Mendes foi prefeito, teve contato com Maryse Mendes. Ele afirmou que o trabalho desempenhado pela ex-secretária em dar assistência aos menos favorecidos, teve papel significativo no Estado.

“Ela não foi apenas uma pessoa que ocupou um cargo por ocupar. E nem utilizou da sua função para fazer política com “p” minúsculo. Ela tinha um engajamento e fez propostas e fez um trabalho que para época era importante. De fato ela se destacou,indo ao interior Marise elevou a categoria dos assistentes sociais”, disse Alberto.

A secretária do lar de Maryse, Cladeniza Silva, que trabalhou com a ex-secretária há 25 anos, afirmou que vai sentir saudades da convivência com a ex-patroa. Ela disse que Maryse sempre ajudou os menos necessitados. 

”Ela deixa boas lembranças para mim e para toda a minha família. Principalmente para o meu filho, Iago, que eu levava junto comigo para o trabalho e convivia com o neto dela, que eu amo. A dona Marise era uma pessoa maravilhosa. Vi como trabalhava no social, sempre ajudando o próximo”, concluiu. 

Sobre Maryse 

Maryse Mendes Perez nasceu em 22 de maio de 1934, em Eirunepé, interior do Amazonas. Foi funcionária pública em diversos órgãos, como a Assembleia Legislativa do Amazonas, onde ocupou cargo de Oficial Administrativo, passando pelas funções de Secretária de Comissões de Finanças e Orçamento, Agricultura e Obras Públicas. Maryse era funcionária pública aposentada pela Suframa. 

Foi no Serviço Social que se destacou. Ocupou o comando da Fundação de Apoio e Desenvolvimento Comunitário (Fundac), em 1988, órgão do Governo do Estado do Amazonas, onde iniciou sua marca de apoio e luta pelos menos favorecidos. Ajudou na criação de bairros da cidade, como Santa Etelvina II, onde lutou pela construção de mais de 1.400 casas populares.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.