Sábado, 04 de Julho de 2020
NA JUSTIÇA

Arthur Neto apresenta queixa-crime no Supremo Tribunal Federal contra Bolsonaro

Em rede social, o prefeito de Manaus disse que o presidente deve responder legalmente por injúria e difamação por declarações na reunião ministerial do dia 22 de abril



show_20200514190524_526ef9fd-305d-464e-9e90-b58ff0a1593d.jpeg Foto: Reprodução/Internet
04/06/2020 às 12:59

Em rede social, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), informou no último dia 1º, que apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma queixa-crime contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Apresentei queixa-crime contra o presidente Jair Bolsonaro ao STF por injúria e difamação, pelas ofensas a mim proferidas durante aquela desprezível reunião ministerial”, disse o prefeito no Twitter.



Segundo Arthur, o presidente deve responder legalmente pelos seus atos. “Quando um cidadão de bem, no sistema democrático de direito, é ofendido de forma gratuita e sem motivação, como no meu caso, deve-se recorrer ao império do direito e não à subterfúgios como campanhas difamatórias“, defendeu.

Arthur se refere à reunião do Palácio do Planalto ocorrida no dia 22 de abril e que teve seu teor divulgado à imprensa pelo Ministro do STF, Celso de Mello, no último dia 22 de Maio. A reunião é uma das provas do inquérito que apura se o Bolsonaro interferiu na Polícia Federal.

Em certo momento do vídeo, Bolsonaro xinga de forma esdrúxula governadores e prefeitos que não seguem as suas orientações em relação ao enfrentamento da pandemia do Coronavírus.

"Aproveitaram o vírus. ‘Tá’ um bosta de um prefeito lá de Manaus agora, abrindo covas coletivas. Um bosta! Que quem não conhece a história dele, procura conhecer, que eu conheci dentro da Câmara, com ele do meu lado, né?", disse.

Maria Luiza Dacio
Repórter do Caderno A do Jornal A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.