Quinta-feira, 02 de Abril de 2020
em protesto

'Quero o corpo do meu filho', diz mãe de menino morto em Nova Olinda do Norte

Familiares da criança realizaram um protesto no 11º DIP, em Manaus; pai e madrasta foram presos suspeitos de matar e enterrar Luiz Henrique, de três anos de idade



WhatsApp_Image_2020-01-20_at_11.55.39_F44371F5-01F9-4BF5-8C3F-91DCF8F25F36.jpeg Foto: Marcos Lima
20/01/2020 às 12:05

Aline da Silva Fragata, de 20 anos, mãe de Luiz Henrique dos Santos Oliveira, menino de três anos que foi encontrado morto em Nova Olinda do Norte, afirma que o pai da criança, Robert Nascimento, levou Luiz de Manaus para o município, situado a 130 quilômetros da capital, sem a sua autorização. A jovem pede para ter acesso ao corpo da criança para realizar um enterro digno ao filho. 

“Eles mentiram pra mim. Eu quero o corpo do meu filho. Ele vai ter um enterro digno”, disse Aline, em Manaus, durante protesto em frente ao 11° Distrito Integrado de Polícia (DIP), no Coroado, na Zona Leste da capital. 



A mãe afirmou que a madrasta da criança, Maria José Bezerra, teria enviado uma mensagem telefônica no dia 20 de dezembro afirmando que o menino estava morto. 

O corpo de Luiz foi encontrado no último sábado (18), no quintal da casa de Robert e Maria, principais suspeitos de terem cometido o crime, e que estão presos no município de Tefé, com previsão de serem transferidos para Manaus ainda nesta semana, de acordo com a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM).

Em entrevista ao programa "Alô Amazonas", da TV A Crítica, a mãe contou que a última vez que viu o filho foi no dia 12 de outubro, Dia das Crianças. “Ele passou o dia com a gente aqui em casa, e, no outro dia, a avó veio buscá-lo”, relembra. 

Identificada como Alessandra, a avó não teria comunicado que a criança iria para a casa do pai, em Nova Olinda do Norte. “Foi a mãe dele [de Robert] que enviou o Henrique sem autorização para a casa dele. Eu não ia deixá-lo ficar com o Henrique”, disse a mãe.

No dia 20 de dezembro, Aline afirma ter recebido uma mensagem telefônica do ex-companheiro Robert, onde ele disse que gostaria de reatar o relacionamento. Horas depois ela afirma que recebeu outra mensagem do mesmo número, porém, enviada pela atual companheira de Robert, Maria José Bezerra, em que ela dizia: “seu filho está morto, vagabunda”.

A mãe tentou ligar diversas vezes para o número e, desde então, sem sucesso na resposta, procurou a mãe de Robert, que afirmou estar tudo bem com a criança. “A dona Alessandra disse que o Henrique estava bem e feliz por estar com o pai”, conta.

Revolta

Após o casal ter sido preso pelos policiais civis de Nova Olinda do Norte, populares se concentraram próximo à delegacia na manhã de domingo (19) a fim de adentrar a 47ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), onde o casal se encontrava.

Na última sexta-feira (17), em Fonte Boa, município distante 678 quilômetros de Manaus, um suspeito de estupro contra uma criança foi esquartejado e queimado por populares após invadirem e depredarem a delegacia onde estava o preso. A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) enviou reforço policial e afirma que irá identificar os suspeitos do crime.

*Colaborou o repórter Emanoel Cardoso

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.