Sexta-feira, 17 de Setembro de 2021
Corrida turbulenta

Em Manaus, passageiro faz B.O contra motorista de aplicativo por injúria

A motorista foi suspensa da plataforma de aplicativos.



909_0DD1C9B1-3C81-4816-B5E0-45E6F5F166D5.jpg Foto: Reprodução/Internet
26/06/2021 às 09:37

O recepcionista e passageiro de corridas por aplicativo Daylson Duarte Guimarães, 42, registrou uma ocorrência de injúria contra a dignidade no 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP), nesta sexta-feira (25), contra uma motorista de aplicativo por expor ele em redes sociais como “ladrão”. A vítima afirmou que se sente proibido de andar nos carros da plataforma com medo de sofrer de represálias ou um linchamento de outros condutores. A motorista foi suspensa pela empresa de aplicativo.

Segundo Guimarães, ele e a namorada, a jovem Amanda Gomes Lopes, 21, pediram um veículo da Uber na Zona Leste de Manaus para ficar na região do Centro Histórico de Manaus. 

“No ponto de parada da minha namorada, ela ficou próximo de um bar, quando eu fui abrir a porta da frente do veículo, a motorista não deixou eu entrar e disse para eu retirar minhas coisas do carro, no entanto, eu tinha uma segunda parada na rua Lima Bacury onde eu ficaria no meu trabalho, mas ela ordenou que eu retirasse meus pertences do carro. Eu tirei e fui de mototáxi para meu emprego”, afirmou o recepcionista.

Daylson descobriu nesta semana que estava sendo difamado nas redes sociais, teve seu nome divulgado pela motorista e chegou a ser taxado como assaltante. Segundo a vítima, a motorista também colocou um vídeo dele em um grupo de UBERs da capital amazonense. As postagens chegaram a ser apagadas e a motorista se desculpou pelo ato.

“Fiquei indignado quando vi isso e vim registrar aqui na delegacia. Também vou acionar a Justiça porque isso não está certo. Eu não posso mais andar em um Uber porque posso ser morto ou agredido por eles, e por uma coisa que eu nem fiz”, desabafou o usuário. 

Conforme informações de investigadores da Polícia Civil, um procedimento foi aberto na delegacia, onde Daylson e  motorista ainda não prestaram depoimento sobre o caso. Nesta sexta-feira (25), foi registrado apenas um Boletim de Ocorrência na delegacia. 

Nota da  Uber

"Os motoristas parceiros da Uber são autônomos e têm a liberdade para escolher suas horas online, sem qualquer imposição por parte da empresa. A plataforma permite que os parceiros tenham liberdade para não aceitar ou cancelar viagens sempre que desejarem. Isso inclui ainda a permissão para que solicitações de viagens sejam canceladas por motoristas parceiros sinalizando motivo de segurança sempre que não se sentirem confortáveis. 

De acordo com o Código de Conduta da Comunidade Uber, os motoristas parceiros têm permissão para instalar câmeras ou utilizar dispositivos de gravação de imagens para fins de segurança e são claramente instruídos a como tratar tal tema do ponto de vista de respeito à privacidade do usuário. Isso inclui a proibição expressa de gravar viagens a fim de publicá-las nas redes sociais ou em qualquer outro fórum público. Tal prática é uma clara violação do Código de Conduta e pode levar à desativação dos envolvidos. 

A conta da motorista em questão foi desativada da plataforma e a empresa permanece à disposição dos órgãos de segurança para colaborar com as investigações, na forma da lei."




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.