Domingo, 25 de Outubro de 2020
INVESTIGAÇÃO

Abacaxis: polícia aponta presidente de associação como 'olheiro do tráfico'

Natanael Campos da Silva, o 'Natan', foi indiciado como suspeito de ter fornecido informações para traficantes sobre uma operação que resultou na morte de dois policiais militares, em Nova Olinda do Norte



show_show_unnamed_57C24982-3CE4-4F89-9704-487123182FE7.jpg Foto: Reprodução/Internet
21/09/2020 às 19:33

O presidente da Associação Nova Esperança do Rio Abacaxis (Anera), Natanael Campos da Silva, o 'Natan', foi indiciado, pela Polícia Civil (PC-AM) como suspeito de ter fornecido informações para traficantes sobre uma operação que resultou na morte de dois policiais militares, no município de Nova Olinda do Norte [distante 134 quilômetros de Manaus] - em agosto deste ano; além do acusado, outras oito pessoas também foram autuadas e responderão por oito crimes.

Segundo a PC, Natan foi delatado por testemunhas, durante depoimento, informando que ele teria avisado Valdelice Dias da Silva, vulgo 'Bacurau', sobre a então operação doi Comando de Operações Especiais (Coe), que seria realizada naquela comunidade. Na ocasião, ainda conforme a polícia, 'Natan' fazia fiscalizações ilegais na localidade e ameaçava os povos indígenas da região.

Em uma das ações clandestinas, ocorrida no dia 29 de Julho, um grupo de empresários e pescadores esportivos navegava pelo rio Abacaxis e foi abordado pela suposta fiscalização. As vítimas estavam em três embarcações e foram expulsas do local. Durante depoimento delas, ao tentarem uma negociação para conseguirem entrar no rio, um dos tripulantes foi baleado. Após a ocorrência, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) determinou o envio de efetivos policiais para apurar o caso.



No momento em que fazia navegação em direção à comunidade, a equipe policial foi abordada por Natanael, que a ameaçou e, conforme as testemunhas, avisou a 'Bacurau' sobre a chegada dos policiais no local, a fim de o capturar. Em um retorno, horas depois, para patrulhamento, a equipe militar se dirigiu à comunidade Santo Antônio do Lira, local onde 'Bacurau' e os familiares - Valcinei Dias da Silva, Zilma Dias da Silva, Edna Dias da Silva, Maria José Dias da Silva, Leide da Silva Rodrigues, além de dois infratores conhecidos apenas por 'Milton' e 'Zé Carlos' - operavam e comandavam o tráfico de drogas, além de possuírem plantações de maconha. Conforme a polícia do município, os policiais de patrulha desembarcaram e foram atacados pelos criminosos, que estavam escondidos na mata. O 3° sargento Manoel Wagner Silva Souza e o cabo Márcio Carlos de Souza foram mortos; outros dois policiais ficaram baleados.

Durante as investigações, foi constatado que o presidente da associação trabalhava em conjunto com o grupo criminoso e promovia crimes ambientais, como o desmatamento e extração ilegal de madeira. A polícia acredita, ainda, que as fiscalizações naquela localidade eram intensificadas a fim de ocultar o local onde as drogas estavam escondidas.

Os criminosos foram autuados pelos crimes de associação, duplo homicídio qualificado, duplo homicídio tentado, usurpação de função pública, extração ilegal de madeira, além de tráfico de drogas.

News fe58c969 f689 427d bdc3 fb9389c2f509 adee0aa5 fa35 42f7 850c 32125f8d473c
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.