Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020
EMERGÊNCIA INDÍGENA

Organização indígena lança plano de enfrentamento à pandemia da Covid-19

Plano será trabalhado de maneira cooperativa entre as instituições indígenas vinculadas à Apib e organizações parceiras do movimento indígena



rs56088_49785692057_e0ef16baa7_6k_DD26676B-EF7A-4BA5-9043-22E8C87FA8A4.jpg Foto: Divulgação/Prefeitura de Manaus
29/06/2020 às 15:58

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), em parceria com a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Povos Indígenas, lançou na tarde desta segunda-feira (29) um plano de enfrentamento à Covid-19, o Emergência Indígena, com diretrizes, ações e estratégias de prevenção, contenção e tratamento da pandemia entre os povos originários.

Segundo a organização, o objetivo do plano Emergência Indígena é levantar fundos para promover ações diretas de cooperação para o enfrentamento da Covid-19. Nesse sentido, o plano será trabalhado de maneira cooperativa entre as instituições indígenas vinculadas à Apib e organizações parceiras do movimento indígena.



Leia a versão completada do plano de enfrentamento apresentado pela Apib

O plano de enfrentamento foi dividido em três eixos programáticos, com ações emergenciais de cuidado integral e diferenciado no controle da Covid-19; ações judiciais e de incidência política; e ações de comunicação e informação em saúde.

As diretrizes do plano são resultantes de dois amplos processos participativos organizados pela Apib, que contaram com a participação de forma remota de inúmeras lideranças indígenas de todo país, além de especialistas em saúde indígena de diversas organizações da sociedade civil.

Segundo a última atualização do Comitê Nacional de Vida e Memória Indígena, o Brasil já registra quase 10 mil casos confirmados de infecção pela Covid-19 entre indígenas, com 383 óbitos e 119 povos afetados.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.