Quarta-feira, 04 de Agosto de 2021
FUTEBOL

Iranduba se prepara para as oitavas de final mas seu seguimento continua ameaçado

O clube está começando os preparos para o importante jogo contra o Atlético Mineiro, porém a má situação financeira pode impedir as jogadoras de entrarem em campo no próximo domingo



WhatsApp_Image_2021-06-21_at_21.40.23_8ECD6F75-354F-4CC5-988D-B366C7DFDF20.jpeg Foto: João Normando/FAF
21/06/2021 às 21:42

O Iranduba já tem adversário definido para as oitavas de finais da Série A2 do Campeonato Brasileiro Feminino: o Atlético Mineiro. A partida acontece no domingo (27), em Manaus. Com o objetivo claro, o grupo iniciou nesta segunda-feira a preparação para o jogo decisivo. 

De acordo com o treinador do time, João Carlos Cavalo, a primeira etapa da competição foi uma espécie de experimento como forma de análise da equipe.



“Nossa primeira fase foi basicamente laboratório para observarmos a parte de carência da nossa equipe, tanto que estamos providenciando algumas situações para ver se a gente consegue inscrever algumas atletas”, contou.

Cavalo também admitiu que o último jogo - a derrota por 2 a 0 contra o Real Ariquemes, a primeira na Série A2 - não foi nada bom: “quanto a derrota, nós fizemos um péssimo jogo, tanto que não conseguimos chutar uma bola a gol”. Mas disse logo que o foco é a partida contra o Galo e que acredita nas meninas do Hulk.

“Agora já começamos o pensamento, já voltamos a preparação para esse jogo contra o Atlético Mineiro e eu particularmente confio muito na nossa equipe quando se trata de jogos decisivos. Foi assim contra a equipe da ESMAC que enfrentamos na primeira fase, para mim o melhor jogo que fizemos naquela oportunidade, então não vai fugir a regra nesse jogo contra a equipe do Atlético”, disse tranquilo.

“As meninas estão concentradas, a gente teve uma boa conversa hoje onde procurei pontuar essas situações que envolveram o jogo contra o Ariquemes e que de maneira nenhuma agradou a comissão e continuar trabalhando durante essa semana toda, domingo é o nosso jogo, a gente tem mais uns dias de preparação”, concluiu.

Oitavas de final

O Hulk da Amazônia entra novamente em campo no próximo domingo (27) para enfrentar o Galo, no Estádio Carlos Zamith, às 15h, para o jogo de ida, que é o primeiro confronto das duas equipes nesta competição. O de volta acontecerá no primeiro sábado de julho (3), no SESC Alterosas, em Belo Horizonte, às 19h.

Continuidade na competição prejudicada

Se o adversário do Iranduba na Sèrie A2 é certo, o mesmo não pode se dizer do futuro do time na competição no que diz respeito ao aspecto financeiro. Como noticiado na última sexta-feira, os problemas financeiros do Iranduba se agravaram um pouco mais com o bloqueio das contas do clube após não cumprir com o acordo de pagamento da ex-funcionária, Renata Costa.

No último fim de semana, o advogado da ex-zagueira, Higor Bellini, entrou em contato com a reportagem e explicou que o pedido de bloqueio se deu porque “o clube não nos procurou desde que deixaram de cumprir o acordo, oferecendo uma solução para a situação da Renata. E o que ela precisa receber é devido”, disse. A dívida do Iranduba com Renata é de R$78 mil.

Sobre isto, o diretor de futebol do clube, Lauro Tentardini,  xplicou que admite  a dívida e o descumprimento do acordo, mas que não conseguiu honrar por falta de recursos.

“Na verdade o clube reconhece a dívida e que não cumpriu os prazos. Isso nunca escondemos, né? Não sei dizer se houve conversas, mas creio que o presidente falava sim com o Higor. Ao menos era o que me dizia. Agora, repito, o clube nunca escondeu as dívidas e todos sabem que dependemos do dinheiro da Vegan Nation para pagar as contas”, explicou.

De acordo com Tentardini, o clube pediu o desbloqueio apenas do valor para os testes de Covid, mas foi negado.“A única coisa que contestamos é que de todo este montante bloqueado que, por sinal, é bem alto (61 mil), são os 7.250,00 que são específicos para teste de Covid-19. Os demais valores o clube não contestou. E também se preocupa com o valor referente à arbitragem que deve ser depositado esta semana, porque se bloquear não há como pagar a arbitragem, sem pagar arbitragem não há jogo, e se não houver jogo e dar W.O, clube é multado, suspenso e deixa de existir”, lamentou.

O diretor concluiu afirmando que o clube está de mãos atadas em relação a esse bloqueio, mas que está à procura de patrocinadores para resolver essa infeliz situação financeira

Alice Pereira
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.