Quinta-feira, 02 de Dezembro de 2021
Futebol de base

Com 15 clubes, Campeonato Amazonense sub-20 inicia nesta sexta-feira

A Crítica conversou com representantes de todos os times do torneio, que garante ao campeão a chance de disputar a Copa do Brasil Sub-20 e a Copa São Paulo de Futebol Júnior



whatsapp-image-2019-09-22-at-11.35.39_22894060-E369-48D4-A541-C9DD3BB928BA.jpeg Foto: João Normando/FAF
28/05/2021 às 02:45

A categoria principal do Campeonato Amazonense chegou ao fim com o Manaus levando o quarto título para casa. Dando prosseguimento ao calendário de competições da Federação Amazonense de Futebol, chegou a vez da garotada da base. O Estadual Sub-20 começa nesta sexta-feira (28) e contará ao todo com 15 equipes, divididas nesta primeira fase em 3 grupos.

A competição, que originalmente é Sub-19, ganhou limite de mais um ano devido ao cancelamento da edição do ano passado por causa da pandemia do novo coronavírus, assim, não prejudicando os jogadores que passariam da idade. Lembrando que o vencedor garante vaga para a Copa do Brasil Sub-20 e Copa São Paulo de Futebol Júnior 2022, que passaram a ser Sub-21 pelo mesmo motivo do estadual.

Com clubes tradicionais e equipe estreante, o grupo A é formado por Nacional, Fast, São Raimundo, Atlético Amazonense e Arsenal. Pela primeira rodada, já teremos o clássico ‘Pai e Filho’.

Foto: João Normando/FAF
Nacional


O técnico do Leão da Vila Municipal, José Ribamar, conta que apesar da equipe ter passado por uma reformulação, a tradição azulina também pesa e que terá à sua disposição atletas que também estiveram presentes no time profissional.

“Nós começamos os treinamentos há mais de um mês. Trabalhamos com os garotos aqui no CT e é uma equipe que está em formação, porque as anteriores não tinham mais idade. Então estamos reestruturando, recomeçando, mas o trabalho está sendo feito. Nós temos alguns garotos que estiveram no profissional, que são os casos do Rafinha e do Gustavinho, que são da equipe Sub-20. Estamos no começo da preparação, mas somos uma equipe que vem forte e a tradição do Nacional também conta muito”, afirmou.

Sobre a estreia ser logo contra o Fast, Ribamar reconhece que o clássico tem sua dificuldade e que o adversário vem se preparando a mais tempo, mas que o Naça também vem forte em busca do bicampeonato.

“Temos o jogo com o Fast logo na estreia e estamos com uma expectativa muito boa. Sabemos que é uma equipe forte, que vem se preparando há mais de 2 meses, mas nós estamos também buscando brigar pelo título. É um clássico, um jogo muito difícil, mas precisamos ter logo esse choque para sabermos da capacidade do nosso elenco. Nossa intenção é essa briga lá em cima e, com certeza, não faltará esforços da nossa parte”, concluiu.

Foto: Junio Matos
Fast

Pelo lado do Tricolor, o comandante Darlan Borges também destacou o tempo de preparação como um dos fatores positivos de sua equipe, assim como também ressaltou a importância de bons resultados.

“Estamos nos preparando há dois meses, o grupo está bastante entrosado e focado. O campeonato é curto e não podemos errar, porque vai ser difícil para recuperar. Mas a nossa expectativa é fazer uma grande competição e estreia, já que nosso elenco é muito forte”, explicou.

Pela primeira rodada da competição, Nacional e Fast se enfrentam nasta sexta-feira (28), às 15h45, no CT Barbosa Filho.

Arsenal

O outro confronto do grupo A é entre Arsenal e Atlético Amazonense. A partida acontece na sexta-feira (28), às 15h45, no estádio Álvaro Maranhão, em Iranduba.

Donos da casa, o Arsenal é estreante na competição e o treinador, Francisco Junior, diz que a equipe vem se preparando para conseguir a classificação para a próxima fase. Porém, há apenas alguns dias da estreia, ainda tem atletas chegando.

“Estamos com jogadores aqui de Iranduba e com uma parceria de Minas Gerais que está trazendo mais alguns atletas. Nós estamos treinando duas vezes na semana no Álvaro Maranhão, temos também um outro campo em que treinamos pela manhã e a academia. A gente vai tentar surpreender, estamos trabalhando para isso. Tentar encaixar pelo menos um terceiro lugar, mas vamos buscar o segundo”, explicou.

Foto: Divulgação/Atlético Amazonense
Atlético Amazonense

Já o Pitbull, após um período afastado dos torneios de base, retorna a competição este ano. O diretor de futebol de base do Atlético, Moroni Silva, comentou que apesar de terem alguns atletas vindos de outros estados, a formação do elenco se dá principalmente pelas seleções que o clube vem fazendo com jogadores naturais de Manaus. A intenção deles é trazer essa visibilidade para os atletas de casa, fazendo com que o futebol amazonense revele mais nomes.

“Estamos fazendo avaliações e descobrindo alguns atletas que merecem a oportunidade de estar nesse elenco com a gente. Temos algumas promessas aí para esse cenário da base. A maioria dos nossos atletas hoje são resultado dessas avaliações que viemos fazendo e alguns são vindos de fora. Nosso presidente tem um certo conhecimento por ser de fora e ter trabalhado em outros clubes por lá, então teremos essa liberdade e conforto de trazer atletas de clubes um pouco mais experientes, para nos ajudar nessa caminhada. Mas a tendência é a gente utilizar os manauaras”, detalhou Moroni, que prosseguiu:

“Sabemos que aqui, em muitos momentos, os clubes deixam a desejar em relação a essa oportunidade para nossos jogadores, então temos essa missão também de dar um brilho nos manauaras, porque eles merecem”, afirmou.

O diretor destacou a força do grupo em que estão, mas também acredita na capacidade da equipe montada e que vão focados em busca do título.

“Sabemos da qualidade do nosso grupo. O Fast vem muito forte, o Nacional e o São Raimundo são centenários e sabemos que vai existir uma dificuldade. A nossa estreia vai ser um pouco mais tranquila. Jogamos fora de casa, mas sabemos o nosso potencial e vamos com certeza buscar as vitórias e as classificações. É um campeonato muito importante, pensando na indicação para a Copa do Brasil Sub-20 e para a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Nós vamos com tudo e vamos atrás do nosso objetivo”, finalizou.

Foto: Divulgação/São Raimundo
São Raimundo

Com cinco equipes em cada grupo, um clube acaba folgando em cada rodada. O primeiro do grupo A que já terá esse descanso é o São Raimundo, que tem sua estreia marcada apenas para a próxima sexta-feira (4), contra o Arsenal, na Colina.

O trabalho desenvolvido no Tufão é dividido entre dois craques bastante conhecidos pela torcida alviceleste, Alberto e Sidney Bento. Sobre compartilhar o comando da base com o ex-companheiro de bola, Sidney diz que o fato de eles já serem próximos e terem até mesmo opiniões parecidas, contribui para uma boa parceria.

“A minha parceria com o Alberto vem sendo muito boa, nós já temos uma amizade há muito tempo. É a primeira vez que estamos trabalhando dentro de campo assim, como treinadores e é bom que nós temos as mesmas ideias sobre o futebol. Estamos em busca de sempre estar melhorando, para trazer um São Raimundo forte e, quem sabe, brigar pelo título, fazendo a base do Tufão voltar a disputar competições nacionais, já que faz muito tempo que o clube também não disputa na base. Essa é a nossa ideia e, se Deus quiser, vamos brigar por isso”, afirmou.

O treinador do Tufão também comentou sobre as mudanças que já notou na equipe desde que os dois assumiram o comando e que, apesar de ainda precisarem ajustar alguns detalhes, o elenco está determinado.

“A nossa preparação está sendo boa. Evoluímos bastante do início até aqui, o que é normal também, pois o trabalho vai acontecendo e as coisas vão melhorando. Conseguimos montar um time forte, que vai brigar de igual para igual com todas as equipes que estão no campeonato. Temos um grupo de jogadores bastante comprometidos com os trabalhos e com os treinamentos, mostrando que querem vencer no dia a dia. É claro que nós ainda temos necessidades em algumas posições, mas estamos correndo atrás disso para melhorar o nosso grupo e entrar mais forte na competição também”, explicou.

Para o primeiro confronto, Sidney conta que já estão trabalhando em cima de um elenco principal e que vão em busca da vitória.

“Para a estreia a expectativa é a melhor possível. Nós já temos uma base montada do time titular. Estamos trabalhando a parte tática, técnica e física também. Ainda temos mais alguns dias e vamos entrar forte para buscar um grande resultado”, concluiu.

Foto: Divulgação/Ismael Monteiro
Tarumã​​​​

Dando o pontapé inicial ao Campeonato Amazonense Sub-20, Tarumã e Manaus se enfrentam na sexta-feira (28), às 14h, no CT do Nacional. As equipes responsáveis pelo duelo de estreia da competição fazem parte do Grupo B, junto com Opérario, Amazonas e Rio Negro.

Para o técnico do Lobo do Norte, Sonday Lucas, a participação no campeonato é sempre uma trajetória a mais que se acrescenta na história do clube, assim como também é um meio de compartilhar experiências e aprendizagem.

“A oportunidade que estamos tendo em participar de uma competição como essa é como se estivessem nos dando um quadro em branco e, a partir do dia 28, começamos a escrever essa história que ainda não sabemos o final. A expectativa é grande, serão grandes jogos, com grandes profissionais. Temos que tirar boas ideias, porque o nosso adversário traz coisas diferentes e nós aprendemos, assim como passamos e ensinamos também. Quando a gente vem para uma nova competição, viemos com ideias novas, sistema de jogo novo, variações e transições, então cada competição traz algo diferente”, explicou.

Sonday também acredita que o futebol está em uma constante evolução e que, para o clube crescer e alcançar seus objetivos, precisa se reinventar e trabalhar em cima dessas mudanças.

“O futebol está evoluindo todo dia, então nós temos que estar criando para superar nossos adversários e nos superar todo dia também. Temos que estar nessa evolução contínua, não podemos ficar na mesma. Espero que Deus possa nos agraciar com o título no final, apesar de que todos vão correr atrás do mesmo objetivo. Mas que vença o melhor, que a competição seja decidida no campo e que todos nós saiamos vencedores independente do resultado”, afirmou.

Sobre a estreia contra o Manaus, o comandante do Lobo destacou que, no começo, os times ainda não têm muitas informações um sobre o outro, o que traz uma dificuldade a mais. O treinador ainda acrescentou sobre a qualidade do grupo em que estão.

“Todo início é sempre difícil, principalmente porque as equipes pouco se conhecem. Então o primeiro jogo, a primeira rodada em si, diz tudo. Nós vamos estar mais convictos de algo a partir da segunda rodada, quando nós começarmos a conhecer os adversários. Estamos em um grupo muito bom, nossos quatro adversários são fortíssimos, então nós também temos que chegar forte”, concluiu.

Foto: Antônio Assis/FAF
Manaus

Após conquistar o quarto título do Barezão principal, o Gavião do Norte vai também em busca da conquista estadual no Sub-20. Pela categoria, o esmeraldino carrega apenas um troféu, que foi levantado na edição de 2016.

O elenco do Manaus vem treinando em dois turnos no Clube do Trabalhador (SESI). Segundo o diretor executivo das categorias de base do time, Gel Silva, apesar do pouco tempo de trabalho, o esmeraldino conseguiu montar uma equipe bem selecionada e que já vem mostrando bom desempenho durante a preparação.

“Nós fizemos alguns amistosos e tivemos bons resultados. Não digo nem em questão de placar, mas de apresentação mesmo. Nós não tivemos muito tempo para escolher jogador, mas fomos cirúrgicos em trazer essa garotada para trabalhar conosco. E a gente espera que, na sexta-feira, tenhamos um bom desempenho contra o Tarumã, que é uma equipe tradicional e forte”, ressaltou.

Foto: Divulgação/Facebook/Operário
Operário

A outra partida do Grupo B, entre Operário e Amazonas FC, seria no sábado (29), em Manacapuru, mas precisou ser adiada devido a manutenção no campo do Gilbertão. O jogo agora acontecerá no dia 22 de junho (terça) e as equipes devem entrar em campo somente pela segunda rodada.

O Sapão da Terra Preta é uma equipe tradicional de Manacapuru, mas há alguns anos não disputa torneios da Federação Amazonense de Futebol. Segundo o treinador Marcelo Martins, o clube busca fazer um bom retorno ao cenário do futebol amazonense, mesmo que sendo no Sub-20.

“O Operário vem de um longo tempo fora das competições da FAF e nosso objetivo de momento é voltar e fazer uma boa competição. Essa nossa volta ao cenário estadual, mesmo que na base, é nossa prioridade hoje. Lutamos muito pela volta do Operário e estamos ansiosos pela estreia, com muito pé no chão”, frisou.

Marcelo ressaltou que a equipe vem se preparando ao longo das semanas no turno vespertino e que ainda encontram algumas dificuldades, mas que seguem fazendo o melhor trabalho possível.

“Treinamos apenas em um período da tarde, dois dias fazemos parte física e dois dias trabalhamos parte tática com campo reduzido. A falta de um campo e as chuvas nos atrapalham um pouco, mas buscamos montar um cronograma que pudéssemos cumprir”, explicou.

Sobre o seu plantel, o treinador destacou a importância do retorno de atletas que disputaram o Barezão pelo Princesa, mas que foram formados na base do Sapão - casos de Dodô, Glilson e Tico -, assim como a chegada de outros reforços.

“A vinda dos garotos que estavam no profissional do Princesa foi não só um grande reforço, como nos dá um uma espinha dorsal para o time, já que ainda temos alguns garotos que fazem parte da mesma base deles, que é o caso do Matulio, Bruno, Luan e Vinícius. Eles jogam juntos desde 2017 e contamos com esse entrosamento para fazer uma boa primeira fase. Temos garotos bons e alguns reforços pontuais que virão nos ajudar, como o goleiro Anderson que era do Sul América e David Gabriel do Penarol”, finalizou.

Foto: Divulgação/Amazonas
Amazonas

Se o adversário visa um grande retorno, a Onça Pintada não fica atrás e espera estrear na competição com o pé direito. Com seus recém-completados 2 anos de fundação, o Barezão sub-20 será o primeiro campeonato de base que o Amazonas FC participará.

O diretor de futebol de base do clube, Roger Sales, comentou que a equipe já vem de um longo preparo, visando não só a busca pela vaga nas competições nacionais, como também formar atletas para auxiliar no time principal.

“Estamos trabalhando nosso elenco desde janeiro. O plano do presidente Wesley Couto é lutar pelo título, levar essa equipe para disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior e também ter uma base forte, para que possamos compor o time profissional para a disputa da Série D de 2022”, afirmou.

Roger ainda completou falando sobre o comandante escolhido para estar à frente da equipe da Zona Leste.

“Com essa visão, contratamos o técnico Jaime Vauly, um dos melhores técnicos da categoria de base, conquistando títulos em todos os clubes que passou e no Amazonas não será diferente. Muito trabalho em busca do objetivo: o título de 2021”, concluiu.

Foto: Arquivo AC
Rio Negro

O Atlético Rio Negro Clube é a equipe que fecha o Grupo B. O Galo da Praça da Saudade fica de folga na primeira rodada, fazendo sua estreia somente na próxima sexta-feira (4), contra o Operário. A partida está marcada para ter início às 14h, tendo o estádio Carlos Zamith como palco.

Em 2016, Rio Negro e São Raimundo protagonizaram um amistoso histórico. Os times sub-20 de ambos os clubes disputaram o primeiro jogo de categoria de base da história da Arena da Amazônia. E coube ao atacante Elivelton, do Rio Negro, o primeiro gol ‘da base’ no local.

O treinador da equipe alvinegra, Fabio Alves, comentou que mesmo distantes da competição há algum tempo, retornam essa temporada com o auxílio de parcerias. Assim, o time vem conseguindo realizar sua preparação para o campeonato e vão em busca de lutar pelas vagas na Copa do Brasil Sub-20 e na Copa São Paulo de Futebol Júnior.

“A equipe está há um tempão sem jogar nas categorias de base. Fizemos uma parceria com o Clube do Sargento, onde estamos treinando no campo. Viemos nos preparando bastante para conseguir essas vagas nos campeonatos nacionais. O Rio Negro tem tradição, é um clube centenário e vamos enfrentar esse campeonado para, se Deus quiser, sair com o título”, afirmou o técnico do Galo.

Foto:Divulgação/Facebook/Tuna Luso Futsalam
Tuna Luso

Pelo grupo C, temos o duelo entre Tuna Luso e Real Manaus. A partida, válida pela primeira rodada, acontece nesta sexta-feira (28), às 14h, no estádio Álvaro Maranhão, em Iranduba. Os demais times que completam o grupo são: Princesa, Clipper e Sul América.

Conhecida das quadras, a Tuna é um clube tradicional no futsal amazonense, tanto no masculino quanto no feminino. Este ano, a equipe resolveu se filiar à Federação Amazonense de Futebol (FAF) e irá em busca de fazer seu nome também nos campos.

O treinador Adilson Lopes disse ser um prazer estar no comando da equipe estreante e que confia na preparação que estão tendo para trazer bons resultados.

“Nossos trabalhos estão sendo diários. Estamos fazendo treinos intensivos há semanas. Montamos um grupo bastante qualificado, forte e competitivo. É uma grande honra estar à frente da Tuna Luso, estou bastante confiante no meu trabalho e de toda comissão. No final, Deus vai coroar com o título e vamos fazer história”, afirmou.

Foto: Divulgação/Real Manaus
Real Manaus

O Real Manaus, por outro lado, já é mais conhecido por esse trabalho desenvolvido na base. Segundo o treinador da equipe, Heleno Lopes, os meses que precisaram passar parados por conta da pandemia trouxe uma dificuldade a mais para a preparação, mas que estão trabalhando forte em cima disso.

“A preparação apesar de curta, devido a questão da liberação das atividades por conta da pandemia, está intensa. Estamos realizando quatro treinos por semana, focando principalmente a questão física dos atletas, que estava bem comprometida também devido a questão da pandemia”, explicou.

Sobre o elenco que tem à disposição, Heleno conta que foi montada uma equipe bastante diversificada, contando tanto com atletas que vêm desde pequenos com o clube, até oriundos do interior do estado e outros que irão fazer testes em clubes grandes.

“Para essa competição mesclamos atletas pratas da casa, alguns mais antigos desde o sub-13 e  sub-15, alguns com experiência fora de Manaus. Temos também quatro atletas do interior do estado, sendo três de Parintins e um de Canutama. E ainda dois atletas vindos da escola oficial do Atlético Mineiro em Manaus, e que estão no aguardo para serem avaliados em Minas pelo clube”, detalhou.

O técnico também comentou sobre o anseio pela partida de estreia e lamentou o fato de que, no momento, a torcida ainda não possa estar presente para apoiar.

“A expectativa e a ansiedade é grande, principalmente por parte da garotada que já está há meses parada, sem competições oficiais. E logicamente por parte da comissão, que visa brigar e chegar às finais do campeonato. Também vai ser um momento diferente sem torcida, visto que em alguns jogos, a base leva público equivalente ou superior a alguns jogos do profissional aos estádios, que por enquanto estarão de portões fechados”, finalizou.

Foto: Divulgação/Facebook/Treinador Mayson
Princesa

O outro confronto da rodada seria entre as equipes de Princesa e Clipper, mas precisou ser adiado por conta da manutenção do gramado do estádio Gilbertão. A partida - antes marcada para o sábado (29), às 15h45, em Manacapuru - foi remanejada para o dia 22 de junho (terça-feira).

O Tubarão do Solimões vem de uma excelente campanha na categoria principal, se destacando principalmente por a maioria do elenco ser natural da própria cidade de Manacapuru e estreante no profissional. Segundo o treinador Mayson Matos, na base não vai ser diferente.

“A maioria dos jogadores que estão vestindo a camisa do Princesa são novatos, estão pela primeira vez disputando um Campeonato Amazonense. Vale também ressaltar que a maioria dos atletas são da casa, aqui de Manacapuru e de comunidades vizinhas”, contou.

O técnico alvirrubro acrescentou que a equipe vem fazendo uma preparação intensiva e espera que, mesmo sendo um torneio acirrado, o Tubarão tenha uma boa trajetória para somar na história do clube.

“Estamos com um pouco mais de vinte dias de trabalho intenso. Os nossos preparadores físicos são os que estavam com o profissional. Estamos fazendo muito trabalho de força, resistência e aumentando o nível de intensidade nos trabalhos técnicos. A expectativa é que tenhamos uma competição muito bem disputada, são quinze clubes participantes. Sabemos das dificuldades e será um desafio muito bom para todos nós. Temos tudo para fazermos uma boa competição, com muito empenho e determinação. A gente espera fazer uma competição que venha a ajudar mais ainda o nome do clube, mesmo sabendo que teremos um campeonato difícil”, concluiu.

Foto: Divulgação/Facebook/Romualdo Matos
Clipper

Assim como o adversário, o comandante do Clipper, Romualdo Matos, também conta que o clube pretende dar visibilidade para jogadores vindos do interior do Amazonas, mas que conta também com alguns reforços de outros estados.

“Nós estamos com atletas vindos de Borba e Uatumã. Tentamos fazer o máximo para dar essa oportunidade para os meninos do interior, mas temos atletas vindo do Rio de Janeiro e Minas também”.

O treinador da Águia Dourada completou dizendo que o time tem dividido seus trabalhos e que, a ideia inicial, é que a garotada faça um bom desempenho, assim como o profissional teve no Barezão.

“As expectativas são grandes, estamos treinando no campo do Country Club, na Colônia Japonesa e no batalhão em Petrópolis. Já viemos de um bom campeonato com o profissional e esperamos fazer com a base também”, finalizou.

Foto: Reprodução/Instagram
Sul América/Amazônia Nilton Lins



Para finalizar o Grupo C, o clube que folga nesta rodada é o Sul América. O Trem da Colina - em parceria com o Amazônia Nilton Lins - estreia somente no próximo sábado (5), às 15h45, no estádio Ismael Benigno, contra a Tuna Luso.

O técnico do Sulão, Bruno Christopherson, comentou que o grupo vem fazendo um trabalho diário de três horas e que conta ao todo com 27 jogadores à sua disposição.

“Treinamos todos os dias, das duas às cinco. No nosso cronograma semanal, trabalhamos condicionamento físico, físico/técnico e técnico/tático. No momento, estamos trabalhando com vinte e sete atletas, sendo que vinte e cinco estão divididos em idades menores da categoria. Somente dois atletas estão na idade (limite) para o sub-20”, frisou.

Bruno acrescenta falando que o elenco sentiu dificuldades no começo com a forma de preparação, mas que já nota uma boa evolução e que espera melhora ao longo dos jogos.

“Nossos treinos se dividem em campos dentro do nosso CT do Amazônia Nilton Lins, no Campo da Arena Laranjeiras, na areia e crossfit. O clube adotou uma nova filosofia, em que os atletas tiveram algumas dificuldades para absorver no início. Hoje, na pré-competição, o elenco já melhorou a sua adaptação e acreditamos que, no decorrer da competição, iremos acelerar a equipe”, explicou.

Sobre os planos para o campeonato, o treinador visa a melhor classificação no grupo para já conquistar uma vantagem a mais para a próxima fase.

“Nossa expectativa é classificar em primeiro lugar no grupo, para que possamos seguir para a segunda fase dependendo do empate até uma possível semifinal, já que temos o objetivo de ser campeões da competição”, finalizou.

Jogos da primeira rodada

Grupo B
Tarumã x Manaus
Sexta (28), CT Barbosa Filho, 14h

Grupo A
Nacional x Fast
Sexta (28), CT Barbosa Filho, 15h45

Grupo C
Tuna Luso x Real Manaus
Sexta (28), Álvaro Maranhão, 14h

Grupo A
Arsenal x Atlético Amazonense
Sexta (28), Álvaro Maranhão, 15h45


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.