Quinta-feira, 04 de Março de 2021
Voa, Gavião!

Após período de teste, meia-atacante Tabatinga se profissionaliza pelo Manaus FC

Ely Matos de França tem 21 anos e assinou seu primeiro contrato profissional na última segunda-feira (18). Conhecido como 'Tabatinga', jogador atuou na base por clubes do Rio Grande do Sul



Elu_3EA54596-CAC1-4588-80D4-DADB076AEEDA.jpeg Foto: Ismael Monteiro/Manaus FC
19/01/2021 às 20:27

Há poucos dias de estrear oficialmente em 2021, o Manaus FC já está de malas prontas para encarar o Ji-Paraná (RO) pela Copa Verde, na quinta-feira (21), em Brasília (DF). Nesta terça (19), o Gavião do Norte anunciou que o volante Yuri Moura e o meia-atacante “Tabatinga” são os mais novos reforços do clube. Ambos passaram por um período de testes, treinando juntamente com a equipe principal e, após algumas semanas, foram aprovados pelo treinador Luizinho Vieira e a comissão técnica.

Ely Matos de França - conhecido como “Tabatinga” - tem 21 anos e vive um momento especial na carreira: na última segunda (18), o jogador assinou o seu primeiro contrato profissional. Em entrevista ao A Crítica, o meia-atacante contou sobre seus primeiros passos antes de se profissionalizar pelo Manaus FC.

“Aos meus 12 anos, fui com meu pai para o Rio Grande do Sul para fazer um teste no Grêmio e tive a felicidade de ser aprovado. Estive de 2012 até 2014 nas categorias de base, mas tive uma queda de rendimento, talvez por ser muito novo em uma cidade grande e ter que presenciar minha família voltando para Tabatinga, por eles não terem se adaptado a Porto Alegre”.

Ely acabou sendo emprestado para o São José (RS). Em 2015, passou pelo Novo Hamburgo (RS) e, em 2016, viveu uma grande fase com o Cruzeiro (RS), marcando sete gols em doze jogos e com seu clube ficando entre os três melhores no estadual juvenil, atrás de Grêmio e Internacional.

“Joguei o juniores pelo Guarany (RS) e, depois do término do campeonato, voltei de férias para Tabatinga. Apareceram propostas para eu assinar profissionalmente, mas não tive sucesso. Voltei para Porto Alegre, mas entre 2018 e 2019, estava sem clube, só treinando por conta própria e esperando surgir alguma proposta”, contou o jogador, que acabou retornando para a cidade natal no ano passado.

Apoio

Com a pandemia, as portas seguiram fechadas para Ely, que seguia sua rotina de treinamento, sem perder as esperanças. Até que com a ajuda de um amigo de seu pai, o meia-atacante encontrou aquilo o que tanto lhe faltava: uma oportunidade.

“Meu pai sempre foi meu maior incentivador e, no final de 2020, um amigo dele, o ‘Cacheado’, que já esteve aqui no Manaus FC trabalhando como motorista, fez minha indicação para fazer uma avaliação no clube. Fui aprovado e hoje estou aqui graças a Deus, a meu pai e ao Cacheado, pela força que me deram. Quero agarrar com unhas e dentes essa oportunidade que o Manaus está me dando. Deus sabe do meu esforço”, finalizou.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.