Quarta-feira, 04 de Agosto de 2021
Futebol Feminino

Após meses de indefinição, Recanto e JC são os finalistas do Barezão Feminino 2020

Por 5 votos a 2, STJD manteve a pena imposta pelo TJD-AM, eliminando o 3B e, como consequência, classificando o JC. Agora, clubes aguardam pela confirmação da data, horário e local do jogo



WhatsApp_Image_2021-03-04_at_16.13.42_8002BC0D-94B0-4C57-BA01-8F1B602B6B7B.jpeg Foto: Maria Luiza Dacio
04/03/2021 às 19:31

Recanto da Criança e JC FC fazem a final do Barezão Feminino 2020. Nesta quinta-feira (4), por 5 votos a 2, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) manteve a decisão imposta pelo TJD-AM, que pune o 3B da Amazônia com a perda de 5 pontos por escalação irregular da jogadora Giselinha. Com isso, a 'Fera' fica fora da disputa por uma vaga no Brasileirão Feminino - Série A2 de 2021.

Classificados na segunda colocação, o Recanto da Criança chega - oficialmente - ao primeiro lugar, enquanto que o JC fica na segunda posição, fechando o G2 da fase de grupos do Estadual. 3B em 3º e Rio Negro em 4º concluem a tabela.

Garantido na decisão e podendo disputar sua primeira competição a nível nacional em caso de título, o presidente João Carlos, do JC FC, destacou a organização do clube.

“Nós procuramos fazer um clube novo para trabalhar de forma organizada. Temos nosso grupo de gestores, acabando um pouco com aquela imagem de quem diz que ‘no interior é bagunçado’, pois não é. Estamos provando que conseguindo trabalhar com responsabilidade, de forma organizada, a gente vai longe”, diz o presidente.

Força fora do campo

É a segunda vez que o JC FC acaba se envolvendo em um julgamento. No ano passado, o clube de Itacoatiara venceu o Tarumã no TJD-AM, conseguindo tirar pontos do Lobo do Norte, alegando que a equipe não havia apresentado o resultado dos testes de Covid - realizados em jogadores e comissão técnica - à FAF.

Por conta disso, o JC disputou a semifinal da Série B Estadual com a vantagem do empate e do mando de campo - contra o próprio Tarumã -, vencendo a partida em questão por 2 a 1 e garantindo sua vaga na elite do Barezão. Somente em janeiro de 2021, o Tarumã foi absolvido da pena no STJD, mas o acesso do clube de Itacoatiara já estava garantido.

“Não fizemos nada além do que mostrar nossa organização. Alguns EPDs (clubes) deixaram de fazer isso, apresentamos os nossos meios e, graças a Deus, a justiça foi feita, de maneira correta, pois apresentamos todas as provas que precisavam. Agradeço ao nosso corpo jurídico e ao STJD pela nossa bela vitória”, finalizou João Carlos.

Corrida contra o tempo

Gerente de futebol do JC, Fernando Lage - que comandou a equipe em parte do Estadual Feminino - disse à reportagem que, agora, é finalizar detalhes burocráticos e aguardar pela data da final, a ser marcada pela FAF em conjunto com os dois finalistas.

“Depois de reposta a verdade desportiva, teremos de repor novamente todas as jogadoras no BID, voltar a fazer todo o processo de inscrição, e fazer novamente os testes de Covid. Estamos esperando transitar em julgado para, a partir daí, podermos iniciar as conversas com a FAF, a fim de remarcar a final dentro de um prazo válido, que habilite os dois times a jogar com suas atletas”, explicou o gerente, que comentou sobre a felicidade das ‘Tigresas’.

“Por hoje estamos apenas festejando a ida à final. As meninas não acreditavam muito por conta dos dois adiamentos do julgamento. Elas estão eufóricas e com muita vontade de regressar a treinar, para poderem disputar a final e que ganhe o melhor”, finalizou.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.