Quinta-feira, 22 de Abril de 2021
Prejuízo

Sem Carnaval, ambulantes perdem o maior renda do ano

A vacinação em massa da população é a grande esperança para que o Carnaval possa acontecer no ano que vem



ambulantes-carnaval-2_99EBE0F2-875E-45AC-A868-BD655983BCE6.jpg Foto: Reprodução / Internet
14/02/2021 às 10:46

Além de decepcionar os foliões, o cancelamento das comemorações anuais do carnaval no Brasil em meio aos altos números da Covid-19, também significa que os vendedores ambulantes que vivem perderão o que para muitos é o maior rendimento do ano.

Claudia Máximo Torres e sua esposa Daylane normalmente vendem cerca de 10.000 latas de cerveja para os foliões no carnaval de São Paulo, gerando um lucro de mais de R$ 7 mil.



“Para o carnaval, os números são extravagantes”, disse Torres, de 38 anos. "Literalmente, agora temos que jogar tudo isso pela janela."

“Os ambulantes trabalham conosco todos os anos e estão sofrendo muito”, disse Jean Jereissati, presidente-executivo da fabricante brasileira de bebidas Ambev SA.

A Ambev, que normalmente lança campanhas promocionais massivas no Carnaval em cooperação com os vendedores, está lançando um programa de ajuda para ajudar os vendedores.

A empresa estima que cerca de 20 mil pessoas usarão o programa, que distribuirá R$ 255 em assistência a vendedores individuais em cestas básicas e cupons.

Embora essa ajuda de menos de US$ 50 possa parecer pequena, Torres comparou-a aos pagamentos de emergência do governo no ano passado, que em seu pico chegaram a pouco mais de US $ 100 por mês.

Torres disse que embora há muito tempo tenha descartado um carnaval normal este ano, ela está depositando suas esperanças em uma coisa: “A vacina”.

“No próximo ano, espero de Deus que o carnaval volte a acontecer”, disse ela.

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.