Domingo, 26 de Janeiro de 2020
FISCALIZAÇÃO

Programa 'Vigia' aumenta combate contra o crime nas fronteiras do AM

As operações do programa no Amazonas vão iniciar pelo município de Coari e em toda a extensão do rio Solimões para combater o tráfico de drogas, roubo de combustível e outros



show_1_8E4C8A87-D351-4C8A-A17D-E845D65AD9C6.jpg Foto: Divulgação / Exército
25/11/2019 às 07:22

No Amazonas e até o final de 2019 nas regiões de fronteira do Acre, Rondônia e do Rio Grande do Sul chegará o “Vigia”, programa de segurança das fronteiras brasileiras do Ministério da Justiça, em parceria com o Ministério da Defesa e órgãos de segurança pública federais e estaduais. Em execução há sete meses no Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, o “Vigia” vai além das fronteiras com atuação nas divisas estaduais. 

As operações do programa no Amazonas vão iniciar pelo município de Coari (a 370 quilômetros de Manaus) e em toda a extensão do rio Solimões para combater o tráfico de drogas, roubo de combustível, ações dos “piratas dos rios” e o contrabando de armas. A previsão da Secretaria de Operações Integradas/MJSP é que seja utilizado um contingente inicial de 200 policiais, mas até o final do ano deve subir para 700, com investimentos de R$ 3 milhões.



O programa “Vigia” trabalha com três eixos: capacitação, aquisição de equipamentos tecnológicos e operações buscando a integração das instituições que trabalham com segurança das fronteiras: Ministério da Justiça, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícias Civil e Militar estaduais, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Receita Federal e as forças armadas.

O “Vigia” tem como desafio fortalecer o combate ao crime organizado, aumentar a fiscalização e a repressão aos crimes fronteiriços, como contrabando, tráfico de drogas, armas e munições. Em um modelo de atuação integrada, o programa une as instituições que atuam nas fronteiras, direcionando esforços e propósitos em estratégia unificada, construída a partir de parâmetros obtidos em experiências internacionais. As instituições passam a utilizar um sistema de base que reúne informações com estruturas conectadas para que sejam compartilhados dados entre o nível operacional e o de produção de conhecimento, contribuindo para a formulação de estratégias para as operações.

Cifras e resultados

Duas grandes operações já foram realizadas nas fronteiras Sul do País - Operação Hórus e Operação Vigia. E os resultados estão divididos em dois tipos: estatística negativa ou cifra negativa – o que deixa de entrar de contrabando de armas e munições no País. Esse lucro negativo está estimado em R$ 5,5 bilhões. E o segundo resultado são os dados estatísticos propriamente ditos, que está chegando à casa dos R$ 160 milhões em prejuízos por conta das apreensões de contrabando e de drogas. 

Desde abril de 2019, as operações do “Vigia” já fizeram bloqueio de 220 embarcações que carregavam contrabando, sendo 72 delas de alta velocidade; quase 50 toneladas de drogas foram apreendidas, 1,2 mil quilos de agrotóxico, 46 veículos roubados foram recuperados, 387 veículos apreendidos, 72 armas de vários calibres, 86 milhões de maços de cigarros.
 

News portal1 9cade99b 2e0a 4d24 a1bb 0c50379289b4
Repórter de A Crítica - Correspondente em Brasília

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.