Sexta-feira, 23 de Outubro de 2020
POLÍTICA

Mayara Pinheiro alega não ter votado projeto de reabertura de igrejas e pede alteração da ata

De acordo com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Josué Neto, ele 'imaginou' que a deputada votaria a favor da pauta e, por isso, registrou o voto na ata



mayara_x_neto_A84A49A4-49D8-4E31-B0F2-D161916C786B.JPG Foto: Arquivo/A Crítica
08/05/2020 às 16:38

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), Josué Neto (PRTB), disse nesta sexta-feira (8) que “imaginou” que a deputada Mayara Pinheiro, que é médica, votaria a favor do projeto que libera a abertura de igrejas em plena pandemia e anotou “sim” por ela na hora da votação. Mais cedo, a parlamentar informou por meio de nota que pediu a alteração do voto dela na ata de quarta-feira da ALE-AM.

“O fato acontecido na votação da respectiva lei, com a respectiva deputada, a conexão da deputada caiu e ela não estava no momento da votação. Imaginei eu, que ela fosse votar a favor, por conta disso houve um erro. O erro é totalmente assumido por mim, a conexão dela caiu exatamente na hora do voto, porém isso é um erro sanável, como foi já foi sanado, já foi feito uma nova pauta e já foi oficializado o voto dela como em abstenção”, explana o deputado.



Josué Neto afirmou à reportagem que o erro já foi sanado e que a correção está registrada em ata. Explicou ainda que eventuais perdas de conexões com a internet podem ocorrer porque “a reunião remota e virtual da Assembleia Legislativa é via internet, somos 100% dependentes da conexão da internet, e a conexão da internet depende de cada conexão da residência da deputada ou deputado ou do local que a deputada ou deputado está participando da reunião”, concluiu. 

Por meio de nota, Mayara Pinheiro informou que não estava presente no momento da votação do PL e que já pediu a correção da ata. Disse que na Comissão de Saúde da ALE-AM, da qual faz parte, votou contra o parecer do relator do projeto que pedia a aprovação da matéria.

“Respeito muito a fé, a importância das igrejas e o papel social exercido por elas, mas o momento não é oportuno para aglomerações. Se puder, fique em casa”, declarou a deputada estadual. 

Procurada pela reportagem para comentar o caso, Mayara disse que tem como provar e que a sua equipe já está providenciando. “Tudo será corrigido. Regimento permite correção mediante comprovações”.

Tramitação

O Projeto de Lei Ordinária nº 136/2020 de autoria do deputado João Luiz (Republicanos) tramitou nas Comissões de Constituição e Justiça, além da Comissão de Saúde da ALE-AM. Recebeu parecer favorável das duas Comissões, foi emendado na Comissão de Saúde pelo deputado e líder da maioria na Casa, Dr. Gomes (PSC), que incluiu no projeto mais medidas restritivas ao coronavírus que não continham na redação original.

A emenda incluiu a proibição da participação nos cultos de pessoas com 60 anos ou mais; limitação de ocupação em 30% dos templos, distanciamento de um metro e meio, além do uso de álcool em gel, para higienizar os fiéis no final de cada culto.

O próximo passo é a sanção pelo governador Wilson Lima (PSC), o que ainda não tem data para ocorrer.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.