Quinta-feira, 04 de Junho de 2020
REFORÇO

Profissionais da saúde somam esforços na preparação de hospital de apoio para casos de Covid-19

Cerca de 150 servidores já estão no local para dar assistência às atividades de sinalização, organização e montagem do fluxo de atendimento



hosp_nilton_lins_BBC914E5-487A-4BAB-977F-3BD440753614.jpg Foto: Michel Mello/Secom
07/04/2020 às 15:23

O Governo do Amazonas deu início, nesta terça-feira (7), à convocação dos profissionais da rede estadual de saúde que irão atuar no hospital da Universidade Nilton Lins, na Zona Centro-Sul de Manaus, que está sendo preparado para ser uma unidade de apoio para internação de pacientes acometidos pelo novo coronavírus (Covid-19).

Nesse primeiro momento, cerca de 150 servidores pertencentes aos quadros dos Centros de Atenção Integral à Criança (Caics) e à Melhor Idade (Caimis) já estão no local para dar assistência às atividades de sinalização, organização e montagem do fluxo de atendimento.



Segundo a secretária executiva de Atenção Especializada da Capital, Dayana Mejia de Sousa, a força-tarefa conta com técnicos de enfermagem, enfermeiros, fisioterapeutas, assistentes sociais, técnicos administrativos e de serviços gerais.

A Secretaria de Saúde (Susam) também está realizando um levantamento dos médicos intensivistas e clínicos gerais da rede estadual que irão atuar na unidade, que tem capacidade para 400 leitos clínicos.

“A partir dessa organização, nós conseguimos fazer a sinalização e vamos conseguir montar o protocolo de atendimento, então nós estamos definindo o que vai acontecer em cada setor, onde vai ser a entrada, onde é o pronto-socorro, onde vai ser a internação, onde é o isolamento, sinalização da UTI, todas as estratégias que envolvem a assistência. Então, neste momento nós estamos aqui mapeando essas situações, organizando a questão de mobiliário, para que possa vir a sinalização e a estratégia de fluxo com o software que vai ser utilizado para o atendimento”, disse.

Ao mesmo tempo, o hospital está recebendo serviços de manutenção tanto na estrutura física quanto no acervo de equipamentos, como monitores e respiradores. Ainda nesta semana, o local passará pelos processos de dedetização e desinfecção, além de testagem da rede de gases.

Opção mais segura

De acordo com Dayana Mejia, a previsão é que o Hospital Nilton Lins esteja preparado para receber os pacientes a partir da próxima semana, o que ampliará a capacidade de atendimento aos casos graves de Covid-19 no estado, até então concentrados no Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, considerado a unidade de referência.

“Lembrando que aqui, em razão de termos régua e toda a estruturação de rede de gases, a qualquer momento nós conseguimos transformar os leitos clínicos em leitos de UTI”, completou a secretária executiva. Ela esclareceu, ainda, que usar uma unidade hospitalar já estruturada é uma opção mais econômica e segura que um hospital de campanha.

“O tempo de montagem de um hospital de campanha é significativo, ele leva em torno de 20 a 30 dias, sem considerar a questão de temperatura que nós temos e vários outros fatores. Nesse momento, vários estados estão nessa montagem porque eles não têm uma estrutura como essa disponível. Aqui nós já temos gerador, rede de gases, o hospital está estruturado, a UTI está montada, nós temos duas tomografias, então nós temos aqui nessa unidade coisas que não teríamos em um hospital de campanha”, comparou.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.