Terça-feira, 22 de Junho de 2021
Inflamação do fígado

Ingestão de remédio sem eficácia contra Covid pode causar hepatite medicamentosa

Em meio a pandemia da Covid-19, a doença ficou em evidência, por conta do uso de medicamentos sem eficácia comprovada no tratamento da doença provocada pelo coronavírus



1600220254646_409F30AA-00EB-47A8-A3DD-A916AE8D36B8.jpg Foto: Reprodução/Internet
29/04/2021 às 17:42

O uso prolongado de alguns tipos de remédios, causam inúmeros problemas à saúde, como a doença hepatite medicamentosa. Uma grave inflamação do fígado, no qual causa enjoo, cansaço, confusão mental e pele amarela. Em meio a pandemia da Covid-19, a doença ficou em evidência, por conta do uso de medicamentos sem eficácia comprovada no tratamento da doença provocada pelo coronavírus. 

Conhecido como “kit covid”,  envolve diversos medicamentos como azitromicina, hidroxicloquina e ivermectina. A ingestão desses medicamentos, podem levar a uma decomposição do fígado, podendo ser aguda, alterando a forma  de trabalho do fígado, o que é prejudicial ao organismo. 



A incidência anual é de 1 caso a cada 10 mil habitantes. De acordo com a hepatologista, Arlene Pinto, este número é subestimado, pois muitos casos não são diagnosticados ou registrados. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES-AM), a hepatite medicamentosa não é de notificação compulsória no Amazonas.

A hepatologista, Arlene Pinto, reforça que o uso de medicamentos sem eficácia comprometem a saúde de qualquer pessoa. “Durante a pandemia, medicações como a Ivermectina, mesmo sem comprovação científica, foram utilizadas em altas doses, sendo responsáveis pela hepatite medicamentosa e inclusive por óbitos”, disse. 

Entre as alterações que acontecem no fígado por conta do medicamento, está a destruição da célula-mãe. Células que formam e excretam a bile no organismo. Com a produção de bile desregulada, acontece o excesso em sangue, gerando níveis até 40 vezes maiores do que o normal. Isso resulta no amarelado dos olhos e da pele.

O tratamento pode acontecer com a suspensão do medicamento, caso não solucione, existe a possibilidade de poder ser feito com medicação específica, resolvendo poucos casos. Normalmente a melhor indicação é de transplante de fígado para casos de hepatite medicamentosa aguda.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.